Subscribe:

Ads 468x60px

26 de junho de 2011

SOCIAL - CAROLINE SILVA

 O advogado André Luiz Rossi está de casa nova desde o mês passado. Seu novo e luxuoso escritório localiza-se na Avenida Tancredo Neves, sentido Vila Olímpica.
  Vilson Pires, prefeito de Paranatinga está fazendo verdadeira revolução em sua cidade. Neste momento comemora a instalação de um frigorifico para abater 360 mil aves por dia. O empreendimento vai gerar três mil empregos diretos e 15 mil indiretos. Adeus desemprego. Adeus pobreza.
 As empresárias tangaraenses Aliúda Tanaka (foto) e Leani Ruppel participaram no período de 16 a 21 deste mês do XXVII Congresso Internacional BPW 2011, em Helsinque (Finlândia). A campanha “Vamos Limpar Tangará” foi divulgada por elas a nível mundial. Um espetáculo. 
 Em recente viagem à capital da República para tomar posse como vice-presidente do PRP de Mato Grosso, o professor Dorjival Silva aproveitou o momento para visitar a sede dos três poderes. Na imagem, com esta colunista.

********************************************

QUENTES & FRIAS


A Vidraçaria Brilhante ganhou pelo 10º ano consecutivo o Prêmio Destaque Empresarial 2010. Prova de que a empresária Marli e sua equipe continuam atendendo à sua imensa clientela com grande carinho e atenção.

Duas mulheres valorosas e destemidas compõem o quadro parlamentar de Tangará da Serra. Rosangela Pizzico e Geane Rosemar embora suplentes, demonstram com suas atitudes que se tivessem sido eleitas estariam fazendo grande diferença no cenário político local.

O repórter Vando Nascimento está de volta à televisão. Agora podemos acompanhar seu bom trabalho na telinha da tevê Vale-Record. Boa sorte!

 E por falar em tevê Vale, a mesma está com cenário novo. Aliás, diga-se de passagem, esse cenário ficou de muito bom gosto. Pontos positivos para o diretor Sílvio Delmondes.

 O prefeito em exercício Jaconias da Silva oficializa nesta segunda-feira 27, nomes de dois novos auxiliares. Os mesmos passarão a administrar as secretaria de Educação e Assistência Social.

O colégio IPES recebeu pela 6ª vez o Prêmio Destaque Empresarial da ACTIS. Justa honraria para todos que fazem desta escola a melhor de Tangará da Serra.

POLÍTICA

Tangará da Serra ainda sem políticas públicas para sua juventude

Governo municipal ainda não cumpre suas obrigações básicas para garantir uma vida melhor para o segmento jovem

Da Redação

Pode até parecer inacreditável. Mas Tangará da Serra, cidade composta por mais de 83 mil habitantes, ainda está longe de dar o primeiro passo em favor do desenvolvimento das políticas públicas necessárias para a sua juventude. O governo municipal ainda não cumpre suas obrigações básicas para garantir uma vida melhor para o segmento jovem. Por causa dessa falta de atenção a decantada cidade universitária diariamente empurra dezenas de jovens para situações sociais precárias, aquém das necessidades mínimas que garantam uma participação mais ativa no processo de conquista da cidadania.

Essa ausência do município vem gerando uma situação preocupante para quem consegue melhor visualizar o tamanho do mal que está devastando jovens com idade entre 16 e 29 anos. É impossível saber no momento quantos são os aprisionados pelo alcoolismo, cigarro e os outros variados tipos de drogas.

Não há dados seguros da quantidade de jovens tangaraenses que estão submersos no mundo da criminalidade. Mas as evidências indicam que não são poucos os que trocaram os princípios legais da vida em sociedade por tortuosos caminhos oferecidos nos guetos da marginalidade.

Jovens tangaraenses têm tombado em vias públicas. Deixando suas vísceras expostas a uma sociedade insensível, apática, que não faz quase nada para alterar a situação. Outros têm sido algemados e empurrados para dentro de abarrotadas detenções acusados de envolvimento com o pesado tráfico.

O poder público e a sociedade civil organizada sabem que precisam, com urgência, definir planos e ações direcionadas a proteger, capacitar e gerar oportunidades aos jovens, de modo a mudar as tristes estatísticas. Ao invés de permanecerem de braços cruzados esperando que as mudanças despenquem do céu.

Na área de educação, o poder público precisa possibilitar que as escolas, além do conhecimento formal, gerem capacitação e profissionalização aos estudantes. Muitos jovens oriundos de escolas públicas saem do ensino médio, sem qualquer preparo para o mercado de trabalho e a vida.

Mais incentivo ao esporte por meio do apoio aos atletas, construção de centros esportivos, campos de futebol em bairros periféricos e distritos; implementações de projetos esportivos que alcancem a maior quantidade possível de jovens, parques, etc. Isso é o que se entende por políticas públicas para a juventude, ações sérias que geram excelentes resultados para a saúde e para a qualidade de vida.

É inadmissível que uma cidade como Tangará da Serra historicamente venha fazendo apenas o “arroz com feijão” quando o assunto é cultura. Esse é um dos setores mais complicados no município porque sequer conta com recursos para incentivos aos jovens criadores.

Dezenas de jovens atores, poetas, escritores, artistas plásticos, músicos, cantores e compositores, corais, etc., nem ao menos conseguem apresentar suas artes para a sociedade por falta de oportunidade.

Além das políticas que atingem as principais áreas de serviço público de uma cidade, como educação, saúde, empregabilidade e cultura, as Políticas Públicas para a Juventude também abragem assuntos novos de grande relevância como, por exemplo, as políticas de inclusão digital, que beneficiam todas as pessoas interessadas em adquirir conhecimentos sobre informática e internet, qualificando-as para o estudo e mercado de trabalho.

A população tangaraense vive cobrando intensamente que se construa com brevidade uma casa de detenção para abrigar menores infratores. Não seria mais sábio e prudente por em prática planos e ações preventivas que visassem assegurar futuro melhor para eles...

Então a sociedade e o poder público se omitem de suas obrigações sociais e ainda querem punir duplamente os infratores? Punem porque não os assistem com políticas públicas e punem jogando-os ao apodrecimento das fétidas detenções?

Dorjival Silva diz que o município poderia amparar melhor os seus jovens
Da Redação

Ex-candidato a deputado federal em 2010, o professor Dorjival Silva disse ao O Tangaraense que uma cidade do porte de Tangará da Serra deveria ter a muito tempo criado uma Secretaria para cuidar com exclusividade dos assuntos ligados à juventude. “Com certeza essa pasta não serviria apenas de peça decorativa como algumas que estão ai, e com um agravante a mais, não passam de cabides de emprego”, critica.

O professor destaca que justamente por falta desse importante braço da administração muitos jovens sem perspectivas que lhes garantam um futuro melhor estão concluindo seus estudos básicos e superiores em Tangará da Serra e depois são obrigados a procurar espaços noutras regiões do País. Mas, o mais preocupante é testemunhar jovens deixando a sala de aula por desacreditar que o amanhã não será diferente para ele e sua família.

“Isso não deveria estar acontecendo”, diz o professor Dorjival. “O município incentiva aos jovens para que aprofundem nos estudos e quando eles estão prontos para exercer suas profissões, faltam-lhes as sonhadas oportunidades do mercado de trabalho”, observa.

O incentivo para a instalação de novas indústrias e campos de trabalho são fundamentais para o crescimento da economia, porque contribui significantemente para a geração de emprego e renda para a população e de forma especial, os jovens em idade de trabalhar.

“Tangará da Serra peca quando não envida esforços nesse item. É preciso criar mecanismos para dar ocupação a nossa juventude, doutra sorte, estaremos desperdiçando essa importante força de trabalho e ainda contribuindo para que considerável parcela de jovens enverede pelo caminho da marginalidade”, pontua o educador.

Mas, políticas públicas para a juventude não implica apenas em criar frentes de trabalho. É necessário que o município através de todas as suas secretarias execute ações conjuntas e sistematizadas que busquem inserir os jovens no desenvolvido sócio, econômico e cultural da cidade.

Professor na rede estadual de ensino desde 2008, Dorjival Silva garante que em seus contatos diários com jovens e adolescentes tem percebido claramente que o jovem tangaraense vive dias de baixa estima. Ele conta que no dia a dia ouve relatos de jovens reclamando da falta de oportunidade. “Eles querem emprego. Querem ter renda própria. Reclamam que a cidade não investe como deveria, nas artes, nos esportes através de incentivos significativos, na cultura, em cursos profissionalizantes onde estudam, em diversões e lazer”, lembra.

Para Dorjival Silva, Tangará da Serra tem todas as ferramentas para planejar e executar ações favoráveis à juventude. Ele lembra que uma cidade com uma cultura mista como Tangará, que tem clubes esportivos e culturais fortes como o CTN Gonzagão e o CTG Aliança da Serra, inúmeros grupos de capoeira, de dança, corais, artistas plásticos, escritores, atores, compositores e cantores, formados em sua maioria por uma juventude ávida por novos espaços, não seria difícil conglomerar tudo num só projeto sob a direção municipal.

“É uma questão de querer. De dá ou não prioridade para os jovens se sentirem valorizados e com mais vontade de contribuir com o crescimento da cidade”, finaliza Silva.

GERAIS

Feira agropecuária acontece em setembro em Tangará da Serra


Da Redação

Está definida para os dias 6 a 11 de setembro a 20ª edição da Exposerra - Exposição Agropecuária, Comercial e Industrial de Tangará da Serra. A dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano deverá estar entre as principais atrações da feira, segundo adiantou o diretor do Sindicato Rural do município, Normando Corral, por assessoria.

Entre os shows, estão ainda o da dupla Milionário e José Rico e também da banda Calcinha Preta. “Queremos animar e elevar a auto-estima da nossa população. Estamos melhorando os shows nacionais para este ano”, destacou o diretor. A programação, que contará também com a 31ª edição da Festa do Peão, ainda está sendo elaborada pela organização.

GERAIS

ASSUSTADOR
Semec registra mais de seis mil casos de bulliyng em 2010

No sentido de prevenir a prática do bulliyng nos Centros Municipais de Ensino a Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Tangará da Serra (SEMEC) vem desenvolvendo algumas ações preventivas. Uma delas foi a criação do Programa do Serviço de Orientação Educacional - “OrientAção” que consistiu na designação de um Coordenador Pedagógico para exercer a função de Orientador Educacional nos CMEs.

De acordo com a Chefe do Departamento Pedagógico Eude Camargo da Silva Pinto ao todo são nove profissionais da educação efetivos no Sistema Municipal de Ensino com habilitação em nível superior em diferentes cursos de licenciaturas e especializações, trabalhando em regime integral (40 horas semanais).

Esses profissionais passam por uma formação continuada, para possibilitar o debate em torno das questões que envolvem o cotidiano escolar e os aspectos ligados a psicologia humana. O Curso de Formação Continuada acontece mensalmente. Além dos estudos teóricos, é feito uma avaliação diagnóstica das ações desenvolvidas.

Eudes diz que o papel do coordenador que exerce a função de orientador educacional é fazer a mediação entre os alunos, os professores e a família, através de um trabalho de acompanhamento e aconselhamento individual junto aos alunos que mais necessitam, buscando meios para minimizar os problemas de violência explícitos no cotidiano escolar e resgatar o diálogo necessário para a formação de valores éticos que possibilitem aos alunos refletirem sobre suas ações, tanto em relação aos colegas, quanto em relação aos pais e professores.

“O trabalho do orientador educacional também contribui para que se multipliquem nas escolas, ações como: palestras de orientação para pais, alunos e professores, num trabalho interdisciplinar, que possibilite a inserção e discussão dos temas transversais, bem como a disseminação da Lei Municipal 3.100 de 07 de Abril de 2009 de autoria do Vereador Luis Henrique Barbosa Matias, que dispõe sobre o programa de combate ao “bullying” nas escolas públicas municipais”, observa a educadora.

REGISTROS - No ano letivo de 2010 foram registrados 6.096 (seis mil e noventa e seis) atendimentos a alunos matriculados nos CMEs, envolvendo desavenças internas, (ocorrências de brigas no interior da escola), desavenças externas (ocorrências de brigas fora da escola), que influenciam no andamento da escola em função do envolvimento dos alunos, agressões verbais, agressões físicas, depredação do patrimônio público, não cumprimento das atividades escolares. Além disso, o orientador faz a intermediação em situações conflituosas dando atendimento aos pais ou responsáveis e atendimento ao chamado de professores quando solicitado, acompanhamento aos alunos com problemas comportamentais.

Em quase todos os Centros Municipais de Ensino são realizadas palestras envolvendo profissionais de diferentes áreas do conhecimento (psicólogos, professores, religiosos e outros), de acordo com a necessidade da comunidade escolar tanto por iniciativa dos CMEs, quanto através do Programa “Família e Escola, aprendendo e Interagindo”.

Por último a Chefe do Departamento Pedagógico destaca que a Secretaria Municipal de Educação vem dando subsídios através do serviço de orientação educacional o combate ao bullying, por tratar-se de um problema mundial, que vem se disseminando largamente nos últimos anos. “Acreditamos que seja necessário lançarmos um olhar mais observador por parte de todos os profissionais da educação, ressaltando ainda a necessidade de participação e cooperação da família e da sociedade em geral para alcançar soluções necessárias para este problema que a cada dia atinge maiores proporções”, pontuou.

O que é bullying

O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Como verbo, quer dizer ameaçar, amedrontar, tiranizar, oprimir, intimidar, maltratar e pode ser manifestado em qualquer lugar onde existam relações interpessoais.

É um dos problemas mais comentados na atualidade e considerado um problema de saúde pública que vem despertando o interesse de muitos pesquisadores na área da educação e da saúde.

Estudos indicam que as simples “brincadeirinhas de mau-gosto” de antigamente, hoje denominadas bullying, podem revelar-se em uma ação muito séria. Causam desde simples problemas de aprendizagem até sérios transtornos de comportamento que podem ser responsáveis pelo aumento dos índices de suicídios e homicídios entre os estudantes.

Mesmo sendo um fenômeno antigo, mantém, ainda hoje um caráter oculto, pelo fato das vítimas não terem coragem suficiente para fazer denúncias. Isso contribui com o desconhecimento e a indiferença sobre o assunto por parte dos profissionais ligados a educação e até mesmo dos pais dos alunos agredidos.

GERAIS

SAÚDE
ELISEU ZORRILA: Uma vida dedicaDA à Odontologia e a Medicina

Da Redação

Uma vida dedicada à saúde humana. É assim que pode ser definida a pessoa do otorrinolaringologista Eliseu Zorrila Cardoso Gomes (77), 10 dos quais servindo à população de Tangará da Serra e região.

Graduado em Odontologia e Medicina, com especialização em Otorrinolaringologia e Traumatologia Buco Maxilo Facial, o médico natural de Guararapes –SP, antes de vir para este município em 2001, onde passou a atuar na Policlínica Tangará, foi professor do curso de Odontologia da Universidade Federal do Amazonas, em Manaus.

Também atuou nas cidades paulistas de Suzano e Piracicaba, oportunidade que lhe rendeu grandes experiências no atendimento à saúde humana.

Em Piracicaba foi médico do serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de Plantadores de Cana e do Hospital de Piracicaba, atual Unimed, além de seu consultório particular.

Também teve a mesma atuação no serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, na Santa Casa de Misericórdia de Suzano e no laboratório de especialidades do estado de São Paulo.

Na cidade de Tangará da Serra, o médico-especialista em Otorrinolaringologia Eliseu Zorrila atende pacientes do município e de várias cidades da região, que chegam através de encaminhamentos do Consórcio Municipal de Saúde e do Sistema Único de Saúde (SUS). A Policlínica Tangará também atende a especialidade Medicina do Trabalho.

VIDA - O médico Eliseu Zorrila é sócio remido da Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial e sócio da Sociedade Tangaraense de Medicina. Em razão de ter dedicado sua vida à Medicina, no ano de 2008 recebeu o título de Mérito Universitário no Jubileu de Ouro da 9ª turma de Odontologia do Triângulo Mineiro, hoje Universidade Federal de Uberaba (MG). Recentemente foi agraciado com uma Moção de Aplausos pela Câmara de Vereadores de Tangará da Serra.


O MÉDICO QUE CUIDA DE NARIZ, ORELHA E GARGANTA

O otorrinolaringologista é o médico indicado para tratar doenças ligadas a esses órgãos, inclusive a realização de cirurgias estéticas da face

POR VICTOR FERREIRA

A otorrinolaringologia (oto = ouvido, rino = nariz, laringo = laringe) é muito ampla em relação aos estudos da face, pois não trata somente as doenças, mas também a parte estética que envolve toda a cabeça, com exceção do cérebro, olhos e dentes. Devido à sua amplitude, inclusive, o especialista desta área divide funções com vários outros, como o alergologista ou ainda o cirurgião plástico.

A principal função do otorrinolaringologista (ou, para abreviar, 'otorrino') é a de cuidar da audição, respiração, voz (englobando as cordas vocais), garganta e de tudo que estiver relacionado a isso, como o sono e as alergias das vias respiratórias. Cirurgias da face em geral também podem ser tratadas por ele, algumas, inclusive, de tumores que atingem parte do cérebro, e cirurgias no pescoço. Ele ainda faz plásticas estéticas em toda a face.

Geralmente o profissional é procurado após indicação de um outro médico, na maioria das vezes um clínico-geral ou pediatra. Entretanto, o presidente da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, Richard Louis Voegels, alerta. "Quando o paciente percebe que está com problemas relacionados aos ouvidos, nariz ou garganta, pode e deve procurar diretamente um otorrino. O clínico- geral saberia tratar uma otite (dor de ouvido) ou uma amidalite (dor de garganta) simples, mas o otorrinolaringologista é o especialista da área".

Os sintomas que mais levam pacientes a este médico são obstrução nasal, o hábito de dormir de boca aberta e todas as outras alterações do sono provocadas por problemas respiratórios, inclusive o ronco. Essas alterações acabam sendo preocupantes, pois é comum encontrar pessoas dormindo mal por questões respiratórias, o que influi na qualidade de vida. As doenças infecciosas que acometem o nariz, a orelha e a garganta, como otite, amidalite, faringite (inflamação da faringe), sinusite (inflamação dos seios da face) e rinite (inflamação da mucosa nasal) também levam muitos pacientes aos consultórios e ainda todos os tipos de alterações da voz, como a rouquidão.

Nova realidade

Nos Estados Unidos, cerca de 75% das operações estéticas da face são feitas pelo otorrino. No Brasil, isso também começa a ocorrer: em Curitiba, por exemplo, a maioria das plásticas faciais ocorrem pelas mãos do especialista.

No Brasil existem mais de 6500 otorrinolaringologistas e, por ano, se formam cerca de 220 novos profissionais. O futuro médico cursa seis anos de faculdade e faz mais três anos de residência médica em otorrinolaringologia.

CUIDADOS SEMPRE NECESSÁRIOS

Evite situações que gerem refluxo de ácido (a popular azia), como jantar e dormir em seguida.

Não consuma cafeína em excesso, que é ácida e irrita as cordas vocais.

Profissionais que se utilizam muito da voz, como professores, devem consultar um especialista para fazer bom uso das cordas vocais.

Ao sair da piscina ou mar, pingue uma ou duas gotas de álcool etílico no interior da orelha, para secar a umidade deixada pela água.

Lave o nariz com soro fisiológico. Além de mantê-lo descongestionado e limpo, não obstrui o canal entre o aparelho auditivo e o nariz.

Não tente limpar o interior da orelha com hastes com ponta de algodão.

COTIDIANO

A homoafetividade e a descriminalização da maconha na visão da ONU

Dois temas estão ocupando espaços na mídia internacional. Um deles, sobre a constituição da relação de homoafetividade, que já foi decidido favoravelmente no Brasil.

O segundo, a descriminalização da maconha continua um tabu, como disse o ex-presidente Fernando Henrique. Interessante como ex-dirigentes dos mais diferentes países, de um momento para outro, descobriram que a política de combate às drogas, até hoje, não obteve resultados positivos.

Além de FHC, dois ex-presidentes americanos, Bill Clinton e Jimmy Carter, entre outros, assumiram a campanha para que o uso da maconha seja liberado.

E justificam que os métodos utilizados até hoje não tiveram o efeito esperado, daí a tentativa da modificação.

O direito dos homossexuais, a outra discussão, tem componentes mais preconceituosos. O que eles conquistaram no Brasil é diferente do que acontece em outras nações. Agora, até a ONU, Organização das Nações Unidas, entrou no debate.

Em decisão tida como histórica, aprovou neste mês, após um intenso debate e uma votação apertada, uma resolução destinada a promover a igualdade dos indivíduos, sem distinção da orientação sexual, apesar da oposição dos países árabes e africanos.

Apesar da reação de muitos países africanos, foi a África do Sul quem apresentou a proposta, com reação liderada pela Nigéria, que acusou a África do Sul de alinhamento com os países ocidentais, a quem estava a serviço, e que mais de 90% dos sul-africanos não são favoráveis à resolução.

Ninguém deve ser submetido à discriminação ou violência por causa da orientação sexual. E foi nesse sentido que a ONU decidiu colocar o tema em discussão, resolução elogiada por inúmeras ONGs que defendem a igualdade de direitos humanos. Em contrário, os países da Organização da Conferência Islâmica (OIC), com o Paquistão à frente, se declararam seriamente preocupados com a tentativa de introduzir na ONU noções que não têm base legal alguma na legislação internacional dos direitos humanos.

A África do Sul foi ainda acusada de haver quebrado uma tradição do grupo africano que, antes, procurava um consenso para votar a favor ou contra qualquer resolução em plenário. Ao longo dos anos, os homossexuais têm sido discriminados, isolados socialmente e até assassinados.

Estados Unidos, França, Brasil, México e Argentina foram os países que apoiaram mais fortemente a resolução. As Organizações Não-Governamentais se mobilizaram em apoio à resolução. O debate é passional e envolve preconceitos antigos. Para o embaixador francês, foi a primeira vez que na ONU aprovou um texto tão forte sob a forma de uma resolução, e desse alcance.

A resolução não tem efeitos administrativos, mas consegue demonstrar que a maioria dos países está contra a discriminação que existe de maneira muito forte em muitos locais. No Brasil, houve reações à decisão de se reconhecer a união homoafetiva. Imagine nos países islâmicos, onde a religião interfere em todos os segmentos da vida do cidadão. Contudo, um dia tudo poderá estar de acordo.

21 de junho de 2011

POLÍTICA

São Joaquim na lista dos emancipáveis

“O pedido para oficialização da inclusão do São Joaquim na lista dos que querem emancipação foi aprovado em assembleia ordinária realizada no domingo, dia 12”

Representantes de 20 distritos mato-grossenses reuniram-se na Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira 16, para formalizar a criação da Associação Mato-grossense de Áreas Emancipadas e Anexadas - (Amaea).

Os distritos associados possuem todas as prerrogativas constitucionais para sua emancipação, entre elas, população superior a cinco mil habitantes, número de eleitores superior a 50% de sua população e, a arrecadação estimada superior à média de 10% dos municípios do estado, considerados em ordem decrescente os de menor população.

A criação da Amaea alegrou o presidente da Associação de Moradores do Distrito São Joaquim, em Tangará da Serra, professor Dorjival Silva, que protocola ofício ainda esta semana junto à nova entidade, solicitando a inclusão de sua comunidade no rol dos Distritos que pleiteiam emancipação político-administrativa.

“O pedido para oficialização da inclusão do São Joaquim na lista dos que querem também emancipação foi aprovado em assembleia ordinária realizada no domingo, dia 12, pelos moradores da comunidade”, observa Dorjival Silva.

A futura emancipação do São Joaquim e dos demais pleiteantes refletirá em desenvolvimento, atraindo recursos federais e a implantação de políticas públicas específicas para geração de emprego e renda, além de inúmeras melhorias.

Dorjival Silva disse ao O Tangaraense que quem criou o distrito que ele representa certamente fez pensando que um dia o mesmo se tornaria um município.

O São Joaquim é o distrito que melhor se posiciona entre os municípios de Tangará da Serra, Nova Marilândia, Nova Olímpia e Santo Afonso. E pode ser que hoje ele não tenha cinco mil moradores em seu território. Nem a quantidade de eleitores prevista. Todavia, se somado com a área que corresponde ao Distrito Progresso, completa todas as exigências legais.

O coordenador da Associação Mato-grossense das Áreas Emancipadas e Anexadas, Nelson Salim Abdala, afirmou que o próximo passo da entidade será ingressar com um mandado de injunção junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o Congresso Nacional a regulamentar a Emenda Constitucional nº 15 de 1996.

ENTENDENDO - A aprovação da Emenda Constitucional n.º 15 de 26-09-1.996, alterou o parágrafo 4.º do artigo 18 da Constituição Federal de 1.988, tornando praticamente impossível, até o momento, a emancipação de distritos.

Com a alteração, o parágrafo 4.º da Constituição Federal passou a ter a seguinte redação:

“A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de municípios far-se-ão por lei estadual, dentro do período determinado por lei complementar federal e dependerão de consulta prévia, mediante plebiscito junto às populações dos municípios envolvidos, após divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal, apresentados e publicados na forma da lei”.

Em razão do texto do parágrafo 4.º falar em lei estadual também gera alguma interpretação errada. Na realidade, a lei estadual só pode existir sobre o assunto, após a promulgação de lei complementar federal e, como esta não existe ainda, os estados nada podem fazer.

Prefeitura assina Termo de Ajustamento de Conduta com o Distrito São Joaquim

Descumprimento incidirá em multas para o gestor e ajuizamento de Ação por Improbidade Administrativa

Ra Redação

Prefeito em exercício de Tangará da Serra, José Jaconias da Silva (PT), acompanhado dos secretários Júnior Schleicher (Saúde) e Clóvis Batista da Silva (Infraestrutura) compareceram à sede do Ministério Público Estadual às 17h, na última quinta-feira 16, para assinar um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta – TAC com o Distrito São Joaquim. Também participou da audiência o professor Dorjival Silva na condição de represente legal da Associação de Moradores do Distrito.

Pelo Termo de Ajustamento de Conduta o município de Tangará da Serra ficou comprometido em atender dentro de prazo estabelecido, os sete itens cobrados pelos moradores do São Joaquim a sequir:

Não deixar faltar medicamentos de uso contínuo para os moradores do Distrito; manter a unidade de saúde em funcionamento em seu horário normal e substituição da funcionária quando de suas férias e/ou impedimentos; manter as ruas do Distrito em boas condições de trafegabilidade, eliminando matagla e crateras e no período da seca utilizar carro-pipa para controlar a poeira; construir num prazo de 10 dias dois redutores de velocidade, sendo um em frente a Escola Estadual Antonio Hortolani e outra em frente à Igreja Evangélica Assembleia de Deus; manter a área de esportes do Distrito em condições de adequadas de uso, com regular corte de grama; e por último, o Município se comprometeu em manter em condições de funcionamento a iluminação pública no Distrito substituído com maior celeridade as lâmpadas defeituosas.

Na oitava cláusula do TAC o Ministério Público assinalou que o descumprimento de qualquer das obrigações assumidas, implicará, por cada obrigação descumprida, no pagamento de multa a ser custeada pelo Município no valor de dois salários mínimos por dia, multa essa a ser arcada pessoalmente pelo prefeito municipal, sem prejuízo do ajuizamento das medidas legais competentes, incluindo-se Ação Civil Pública e Ação por Improbidade Administrativa.

O Termo de Ajustamento de Conduta foi concluído com as assinaturas do promotor de Justiça Antonio Moreira da Silva, o prefeito em exercício José Jaconias da Silva, o presidente da Associação de Moradores do Distrito São Joaquim e os secretários municipais Júnior Schleicher e Clóvis Batista da Silva, respectivamente da Saúde e Sinfra.

NOTAS DA REDAÇÃO

VUCO–VUCO - O que poderia ter sido uma grande oportunidade para pessoas carentes de Tangará da Serra, que não podem pagar por consulta a um advogado, acabou virando uma verdadeira muvuca, terça-feira 13, no saguão do Centro Cultural de Tangará da Serra. Mais de 600 pessoas compareceram ao local para tirar dúvidas relacionadas a processos de aposentadorias e outros benefícios do INSS. No entanto, o atendimento não ocorreu pelo fato de a OAB ter impedido. Houve revolta popular.


RELATOR - Gilcélio Peres (PT), relator da Comissão Processante criada na semana passada pela Câmara de Vereadores, buscará orientação do Ministério Público nesta quarta-feira 22, para sanar duas dúvidas.

RELATOR I - O petista quer saber se na condição de suplente, tem amparo legal para realizar seu relatório sem correr risco de vê-lo impugnado mais à frente. E se, atuando integralmente como parlamentar, como ficará durante um mês ou mais, poderá ser remunerado pelo Legislativo.

RELATOR II – Peres reclama que está tendo prejuízos financeiros com suas idas e vindas quase diariamente entre Campo Novo do Parecis, onde reside e atua como professor do IFMT, e Tangará da Serra. Ele quer ser remunerado pelo Legislativo.

TRIBUNA – Presidente do PRP, professor Dorjival Silva compareceu quinta-feira 16, ao gabinete do presidente da Câmara, vereador Miguel Romanhuk, para solicitar a instituição do ‘Tribuna Popular’, tema de reportagem na edição 1ª deste jornal. O que ele não imaginava é que desde 17 de março de 1993, através da resolução 0006, foi promulgado o cobrado espaço democrático. Detalhe: nunca havia sido divulgado.

TRIBUNA I – O parágrafo único diz: A “Tribuna Popular” constitui-se em espaço democrático a ser utilizado pelas associações, sindicatos, clubes de serviços, entidades culturais e filantrópicas com existência jurídica devidamente comprovada. Pronto. O espaço existe. Só precisa ser requerido.

NADIR – O secretário “chamuscado” da Educação de Tangará da Serra, professor Nadir, chegou a comentar que seu nome estaria sendo o mais cotado para assumir a presidência do diretório municipal do Partido Progressista. Resta saber se com a possibilidade de abertura de uma CEI para investigar denúncias de irregularidades em sua pasta, ele ainda teria tanta chance assim.

AUDIÊNCIA – Prefeito Jaconias da Silva, secretários Júnior Schleicher e Clovis Batista e o professor Dorjival Silva, presidente da Associação de Moradores do São Joaquim, estiveram em audiência na quinta-feira 16, com o promotor de Justiça Antonio Moreira da Silva. Enfim, a assinatura de um TAC para resolver de vez os históricos problemas que afligem aquela comunidade.

INDEFINIÇÃO – Por conta dos desarranjos de gestão promovidos pelos ocupantes do Palácio Tangará, hoje não há mais como definir quem é oposição e situação na Câmara de Vereadores. Voltou tudo a estaca zero. Quem diria isso viria a ocorrer.

20 de junho de 2011

OPINIÃO

Editorial

Precaução e caldo de galinha não fazem mal a ninguém. O dito popular parece aplicável nos políticos, com mandato, que puxaram o freio de mão na travessia para o PSD.

 É que não há a garantia de que o novo partido seja reconhecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dentro do prazo-limite para as eleições municipais de 2012, que é 5 de outubro deste ano. Existe um movimento dos partidos que se sentem prejudicados em postergar a homologação do PSD.

 O Democratas é um deles. Ontem, a executiva nacional do DEM anunciou que vai entrar com uma notícia-crime para investigar a denúncia de que funcionários comissionados da Prefeitura de São Paulo estão sendo coagidos a coletar assinaturas para a fundação do PSD.

A denúncia será apresentada em duas esferas: eleitoral, por meio da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE-SP); e criminal, por meio do Ministério Público Estadual de São Paulo.

A notícia-crime pode se espalhar por todo o país, devido a fortes indícios de que as comissões provisórias da nova legenda estão coletando assinaturas de forma ilegal.

Em alguns casos, não há certeza de que o cidadão listado tenha assinado de próprio punho. Evidentemente que a Justiça Eleitoral e a Comum têm por obrigação investigar a denúncia. Agora, paralelamente ao foco legal, está sendo colocada em prática a estratégia de retardar o registro do partido, como forma de evitar o troca-troca para as eleições do ano que vem.

Essa situação parece bem clara em Tangará da Serra. O vereador João Negão já teria acertado todos os pontos da mudança para o PSD, mas vai esperar para fazer a transferência quando o partido estiver oficialmente criado.

Daí, o PMDB continuar sendo o seu porto seguro. Resta saber se a ex-prefeita Ana Monteiro de Andrade, presidente da comissão provisória local do PSD, já deixou o PP ou também mantém a carta de seguro. A segunda hipótese é mais confiável.

Justiça(STF) perde tempo com tema inócuo

EVÂNIO ARAÚJO
É no mínimo espantoso ver a Corte maior, o Supremo Tribunal Federal (STF) que alega ter milhares de processos para serem julgados e não tem tempo, daí está debatendo neste momento a legalidade da drogas tidas como leves, como se essas existissem. Droga é sempre droga e faz mal do mesmo jeito, é apenas diferente o efeito.

Estão fazendo apologia ao crime sob a égide do modernismo com o discurso demagogo do exercício da liberdade de expressão, democracia plena, entre outras sandices. Que se liberem manifestações, mas o uso do entorpecente é outra situação.

Se o julgamento fosse tão somente sobre a legalidade da manifestação ou não da sociedade manifestar-se sobre a maldita maconha, ainda assim, estão perdendo tempo e dinheiro, transformando o fato num evento político.

Entendo que a Procuradoria-Geral da República e o STF tenham questões de maior relevância para a nação a serem discutidas, ao invés de ficarem nessa baboseira de ser ou não ilegal uma manifestação, independentemente do objetivo da manifestação.

A Constituição garante a liberdade de expressão e de reunião, daí ser utopia perder tempo com o que já está assegurado, na passada semana a vice-procuradora-geral da República Deborah Duprat defendeu a ação de sua autoria a “Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 187.”

A procuradora indica que a proibição judicial das marchas a favor da maconha e de outros entorpecentes tem sido baseada em interpretação errada do Código Penal. Segundo ela é “equivocado” dizer que a realização das manifestações constitui “apologia ao crime”. Fez alusão a Fernando Henrique que se posicionou recentemente a favor da liberação.

LEMBRANDO - Como se sentirão aqueles que foram presos, condenados e expostos a execração pública por terem um “mero” cigarro da tal maconha ou um pé da mesma cultivado no fundo do quintal.

CULTURA POPULAR

CTN Gonzagão está com tudo pronto para realizar sua 17ª Festa de Vaquejada


Presidente da entidade, José Ribamar estima que 20 mil pessoas prestigiem o evento neste ano

O Centro de Tradições Nordestinas – CTN Gonzagão de Tangará da Serra realiza entre os dias 08 e 10 de julho, sua 17ª Festa de Vaquejada, um dos maiores eventos do gênero na região Centro-Oeste do Brasil.

De acordo com o presidente da entidade, José Ribamar de Sousa, a abertura obedecerá ao mesmo programa das festas anteriores. Na sexta-feira, dia 08, ocorrerá o tradicional desfile dos vaqueiros, com saída às 8h, da Praça dos Pioneiros, percurso pela Avenida Brasil e destino ao CTN.

A partir das 20h, na sede da entidade, acontece a celebração da Missa dos Vaqueiros, o asteamento das bandeiras dos 09 estados nordestinos e um forrozão ao modo pé de serra com a banda Chama do Forró.

O início da vaquejada está previsto para as 14h, do dia 09, e à noite, mais uma festa dançante no espaço de eventos do clube será realizada. No domingo, a vaqueirama começa a competir a partir das 9h. Ao meio dia será servido suculento almoço à base de comidas típicas do sertão nordestino, com buchada de bode, sarapatel, cuscuz e outras delícias regionais.

VAQUEJADA – É importante ressaltar que a Vaquejada promovida pelo CTN Gonzagão vem se tornando a cada ano mais famosa nessa região do País. A festa está cada vez mais popular.

“A diretoria vai trabalhar mais uma vez para agradar a todos quantos comparecerem a esse tradicional evento turístico e cultural de nossa cidade”, observa Ribamar.

Já com relação à presença de público, o presidente do CTN acredita que neste ano mais de 20 mil pessoas devam passar pelo local no decorrer dos três dias de festa.

FESTIVAL DE PRÊMIOS – No domingo, dia 10, ocorrerá como em todos os anos, o tradicional show de prêmios. Neste ano serão sorteados 01 carro (Ford Ka) e 04 motocicletas (Fan – Honda).

Qualidade do ensino a distância


De 56 instituições particulares de ensino que oferecem cursos de graduação à distância no Brasil, só duas obtiveram a nota máxima em um ranking preparado pela ABE-EAD (Associação Brasileira dos Estudantes de Educação à Distância).

Em uma escala de um a cinco pontos, a FGV (Fundação Getulio Vargas) e a AIEC (Associação Internacional de Educação Continuada) ficaram com a primeira e a segunda posição no ranking, respectivamente. Ambas obtiveram nota cinco.

Foram ouvidos 15.012 estudantes das faculdades e centros universitários avaliados pelo estudo. Cada um deles respondeu a um questionário com 40 perguntas sobre a qualidade do ensino adquirido – a ABE-EAD não levou em consideração a metodologia das aulas dadas, nem o número de alunos em cada curso.

Ricardo Holz, presidente da associação, explica que as perguntas foram direcionadas exclusivamente à opinião dos estudantes. Entre os pontos avaliados estão: a qualidade dos cursos, o material usado nas aulas, o sentimento de aprendizado real ou a falta desse sentimento, e, principalmente, a rapidez dos professores para responder as dúvidas dos estudantes – geralmente por e-mail.

Segundo Holz, a demora na resposta é “o maior problema da EaD (Educação à Distância)”.

- Tem professor que demora três dias para responder [à pergunta do estudante]. Se o aluno não recebe logo a explicação de uma dúvida, ele logo se desmotiva. Por isso, é um ponto muito importante.

Fonte: site R7.com

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Pesquisa revela: a cada dois minutos, cinco mulheres são agredidas violentamente no Brasil


Pesquisa feita pela Fundação Perseu Abramo em parceria com o Sesc revela que, em média, a cada dois minutos, cinco mulheres são agredidas violentamente no Brasil. Mas o índice já foi pior: pesquisa semelhante feita em 2001 apontava que oito mulheres eram espancadas no mesmo intervalo de tempo.

A mais recente pesquisa foi realizada em 25 estados em agosto do ano passado e ouviu 2.365 mulheres e 1.181 homens com mais de 15 anos.

Um fator preocupante foi que um em cada 12 homens entrevistados respondeu que a mulher, no mínimo, merecia apanhar de vez em quando. Dos que bateram, 76% admitiram que fizeram errado e 50% não fariam de novo. Das agressões, a maioria, 84%, se resumiu a tapas, apertões, empurrões e sacudidelas. 7% foi espancamento.

Os dados são preocupantes e está claro que é preciso intensificar as políticas públicas previstas na Lei Maria da Penha em todos os lugares do Brasil. Há ainda a necessidade de criação de serviços de proteção à mulher nos municípios pequenos.

Os reflexos da Lei são positivos na diminuição da violência, mas é bom que se fique alerta porque há projetos que buscam mudar a Lei Maria da Penha. Uma forma de deturpar a fundamentação da norma. É necessário que o Poder Legislativo fiscalize o cumprimento da legislação em vigor.

Nesse momento é preciso que o Legislativo, da mesma forma que fez para aprovação da Maria da Penha, continue articulando com o Executivo, com o Ministério Público, com representantes do Poder Judiciário, sobre o que é preciso realmente rever na Lei para que ela possa criar mais efeitos para o combate à violência contra as mulheres.

CONHECIMENTO - Oitenta e cinco por cento dos pesquisados conhecem a lei e 80% aprovam a legislação. Mesmo entre os 11% que criticam a Lei Maria da Penha, a maioria acha que a lei é insuficiente.

Redação com Câmara dos Deputados


Violência contra a mulher em MT

Em entrevista ano passado ao jornal A Gazeta, Cuiabá, a delegada Sílvia Virginia Biagi Ferrari comentou que o tempo da violência contra a mulher estava sendo bem discutido. Porém, ainda muito conturbado, uma vez que muitas pessoas estariam banalizando o crime.

Naquele momento o entendimento dela era que a violência doméstica e familiar era o que ocorria com maior freqüência no estado. Por isso mesmo acreditava que os profissionais que lidavam com esse tipo de violência tinham a percepção de que era necessário fazer alguma coisa para minimizá-la.

Para a delegada, não haveria como detectar se tinha havido crescimento da violência contra a mulher em Mato Grosso, mas sem dúvida aumentou a quantidade de denúncias.

Numa fala ao mesmo jornal a promotora de Justiça, Sasenasy Soares Rocha Daufenbach, da 6ª Promotoria de Justiça Criminal de Várzea Grande, Especializada na Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher disse: “Só entende violência doméstica quem tem empatia para se colocar no lugar daquela mulher que está inserida na violência. É preciso entender o ciclo da violência doméstica”.

Tangará registra média de três casos mensais de agressões à mulher em 2011

159 mulheres tangaraenses foram submetidas a agressões em 2010; neste ano, até meados de maio, 14
Jornalista Luciana Menoli
Presidente do ‘PRP Mulher’ de Tangará da Serra, a jornalista Luciana Menoli relatou recentemente através de seu blog, o estágio da violência contra a mulher neste município. Os dados de um passado recente apareceram de forma assustadora, mas falando com exclusividade ao O Tangaraense, disse que a situação atual está menos preocupante.

Luciana informa que com base em estatística da Delegacia da Mulher de Tangará da Serra, em 2010, foram registrados 159 casos de agressões. Desses, apenas 40% foram concluídos com a representação das vítimas. A grande maioria retirou o procedimento antes mesmo de o acusado ir pela primeira vez ao Fórum, ou seja, foi retirado menos de 30 dias após a denúncia. Apenas 35 mulheres solicitaram medidas protetivas de urgência e, dessas, 20 hoje estariam morando novamente com seus agressores.

No seu relato consta ainda que nos meses de setembro e dezembro do ano passado a Delegacia da Mulher registrou a maior quantidade de ocorrências de agressões, sendo 20 em cada mês. Em abril haviam sido registrados 18 casos.

Neste ano, a onda de agressões à mulheres tem decrescido, pelo menos até o mês passado. A jornalista assinalou em sua página eletrônica que 14 casos foram registrados até então. Desses, 13 vítimas pediram medidas protetivas de urgência. Porém, apenas oito tiveram a coragem de se desvencilhar de seus agressores.

RETORNO - Segundo a escrivã da Polícia Civil (Delegacia da Mulher), Fabiana Gramulha de Andrade, que em sua monografia no término do curso de Direito, em 2008, expôs as facetas de muitos casos de agressão a mulheres e o porquê que elas acabam 'voltando atrás' em suas denúncias, os motivos são quase sempre financeiros. “Tem mulheres que não têm outra fonte de renda, não têm instrução nem cursos e, ainda, têm vários filhos. Já vi marido falando aqui: 'tudo bem, vou preso, mas quem vai te sustentar os teus filhos? ' E elas acabam cedendo”, explica.

Na opinião da escrivã, o município deveria ter uma casa de apoio a essas mulheres e às crianças, pois hoje, se a mãe se separa e não pode sustentá-los, ela tem que ficar longe; as crianças vão para a Casa da Criança. Ainda, de acordo com Andrade, além da casa, onde pudessem ficar com seus filhos, o município deveria oferecer cursos em diversas áreas, não só artesanato, que muitas vezes não é suficiente para manter a família. “São necessários abrigo, cursos e um subsídio”.

Conforme Fabiana explicou ainda, na época em que Lei foi aprovada, haviam muitas denúncias que, com o tempo, foram diminuindo. Hoje, a maioria dos casos acontece nas madrugadas de sábado para domingo. “Geralmente, o marido chega bêbado e a confusão começa”, relata ela, dizendo que o álcool é o responsável direto por cerca de 80% dos casos.

“A verdadeira mulher/vítima, que é agredida, na maioria das vezes, não vem aqui. Ela não tem informação, não sabe de seus direitos e não tem condições financeiras e educacionais de se sustentar e de sustentar seus filhos. Além de serem agredidas por seus companheiros, há uma sociedade que não se responsabiliza por ela e, ao se omitir, também a agride”, pondera a escrivã.

FONTE: Coisa Nossa

Segunda-feira, 04 de julho de 2011
Atualização:

Dados do Ministério da Saúde sobre o número de óbitos por assassinatos de mulheres no Brasil revelam que houve um acréscimo no período de 2007 a 2009. Em 2007, foram registradas 3.772. Já em 2008 foram 4.023 e, em 2009, o total de vítimas chegou a 4.163. Segundo o 'Mapa da Violência 2011', do Ministério da Justiça, entre 1998 e 2008, foram assassinadas 42 mil mulheres no país.

GERAIS

A importância da medicina e segurança de trabalho para as empresas

Carlos Eduardo Machado
Formado em Administração de Empresas pela Universidade do Estado de Mato Grosso e Técnico em Segurança do Trabalho, Carlos Eduardo Machado, 29 anos, está desenvolvendo excelente trabalho em sua área no município deTangará da Serra. Com escritório instalado na Policlínica Tangará, localizada à Rua 7, 354W, centro da cidade, ele presta assessoria em segurança e medicina do trabalho. Já atuou como técnico de segurança em indústrias da contrução civil e de alimentos e universidade.

Carlos Eduardo destaca que o tema apesar de parecer novo para a maioria das pessoas, não o é de fato. Segundo ele, a informação mais antiga sobre a preocupação com a segurança do trabalho está registrada num documento egípcio. O papiro Anastacius V fala da preservação da saúde e da vida do trabalhador e descreve as condições de trabalho de um pedreiro. Desde então a segurança do trabalho passou por uma grande evolução tanto mundial como no Brasil, hoje com 34 Normas regulamentadas pela CLT.

O técnico frisa ainda que a grande quantidade de registros de acidentes de trabalho custam aos cofres públicos do Brasil, R$ 42 bilhões por ano, o que representa 1,8% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. “Sendo assim o acidente de trabalho gera custos a todos e ainda sem contar o sofrimento humano ao acidentado e seus familiares que não pode ser mensurado” observa Carlos.

O trabalho deste profissional tem o objetivo de levantar todos os riscos ocupacionais existentes numa empresa avaliando-os de forma qualitativa e quantitativa, reconhecento seus possiveis efeitos à saúde e segurança do trabalhador, ao mesmo tempo propondo medidas para eliminar, neutralizar ou minimizar os riscos indentificados no ambiente de trabalho. Sua preocupação é de garantir a qualidade em um todo da empresa.

Está mais que compreensível na atualidade que o trabalho desse profissional numa empresa, coloca-a em melhores condições de competir no mercado e crescer economicamento. Não dá mais para uma empresa descartar o trabalho preventivo. A segurança do trabalho está muito mais além do que usar EPI’s e atender a legislação. Sua consolidação depende da consientização de toda a sociedade.

COTIDIANO

CPI das PCHs

Por Edson Cavalari

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Usinas Hidrelétricas se reuniu nesta quinta-feira passada, em Cuiabá, no Auditório Milton Figueiredo, para analisar os primeiros oito processos de licenciamento de usinas em Mato Grosso

Conforme o presidente da CPI, deputado Percival Muniz, os processos que forem aprovados pelo Parlamento receberão o parecer favorável da Assembleia para o seguimento das obras ou projetos e as que estiverem em desconformidades serão reprovadas por força de decreto legislativo, a partir daí se tornarão nulas.

Ficou definido que serão avaliados oito processos por semana, porém, de acordo com informação de fonte segura isto será humanamente impossível com o numero de técnico disponibilizado para o labor, levando em consideração que a comissão aprovou um requerimento para que faça busca e apreensão nos documentos em epígrafe que se encontrem na Secretaria de Meio Ambiente SEMA) ou em outros departamentos de estado, estes documentos buscam irregularidades nas aprovações deste empreendimentos.

Acredita-se que o percentual de políticos que certamente a ser convocado, será de longe maior que de empreendedores do ramo energético.

Os tangaraenses também perderão com essa briga, mais política que técnica, pois vários projetos em andamento serão paralisados. Apenas um deles, com orçamento de 40 milhões, geraria 400 empregos direto.

É como diria um filosofo Hindu “Em briga de elefante quem sofre é a grama

SOCIAL - CAROLINE SILVA

 A adolescente Bruna Letícia, 3ª colocada na no concurso Garota da Copa em Tangará da Serra, está fazendo curso de modelo. Tomou gosto e vai seguir em frente na profissão.



A Igreja Presbiteriana do Jardim Santiago celebra neste final de semana seu 4ª ano de organização eclesiástica. Para marcar a data uma série de pregações bíblicas está sendo ministrada pelo reverendo Luiz Antonio Ferraz da IPB de Barra do Garças.

O Pr. Dr. Marcos dos Anjos, titular da Igreja, convida a população tangaraense a se fazer presente neste evento mais que festivo, mas sobretudo, de louvo e gratidão a Deus. A IPB se localiza à rua 13-A, 471N, Jardim Santiago.

14 de junho de 2011

DIVERSÃO & ARTE

Filmes em cartaz nos cinemas

› X-Men - Primeira Classe (Ação/Aventura)
› Estamos Juntos (Drama)
› Piratas do Caribe 4 - Navegando em Águas Misteriosas (Ação/Aventura)
› Se Beber, Não Case! 2 (Comédia)
› Minhas Tardes com Margueritte (Comédia)
› O Poder e a Lei (Drama)
› Inversão (Drama)

Estamos Juntos (estreia em 17 de junho)

Sinopse

Para Carmem (Leandra Leal), uma jovem e talentosa médica, o mundo começava a se moldar conforme seus planos: uma vida independente na agitada São Paulo, ao lado do seu divertido amigo DJ, Murilo (Cauã Reymond), e distante das amarras da cidade provinciana de onde veio. Mas quando sintomas de uma grave e inesperada doença surgem na vida desta médica residente, sua rotina se transforma e ela passa a se relacionar cada vez mais com um enigmático homem (Lee Taylor) ao mesmo tempo em que se entrega a uma intensa paixão com o impetuoso músico Juan (Nazareno Casero). Em Estamos Juntos, Carmem fará com que as duas realidades em que vive se confrontem, mesmo que elas acabem conquistando ou destruindo uma à outra.

Elenco

Cauã Reymond
Leandra Leal
Lee Taylor
Débora Duboc
Sidney Santiago
Dira Paes


MÚSICAS MAIS TOCADAS

As 20 musicas mais tocadas Brasil

1 Britney Spears Till The World Ends
2 Adele Rolling In The Deep
3 Luan Santana Um Beijo
4 Katy Perry E.T.
5 Paula Fernandes Pra Você
6 Lady Gaga Judas
7 Luan Santana & Adelaide Amar Nao e Pecado
8 Jennifer Lopez & Pitbull On The Floor
9 Ivete Sangalo Desejo De Amar
10 Victor & Leo Agua De Oceano
11 Fernando & Sorocaba Teus Segredos
12 Chris Brown & Justin Bieber Next To You
13 Hugo Pena & Gabriel Quatro Estacoes
14 Justin Bieber & Rascal Flatts That Should Be Me
15 Jorge & Mateus Seu Astral
16 David Guetta, Flo Rida & Nicki Minaj Where Them Girls At
17 Jessie J & B.o.b Price Tag
18 Alexandre Pires Sissi
19 Ivete Sangalo & Seu Jorge Pensando Em Nós Dois
20 Black Eyed Peas Just Can't Get Enough

SUGESTÃO DE LIVROS

O Amor em Tempos de Desamor e o Enigma - O Brasil Tem Jeito ?

A primeira parte do livro o tema abordado é convivência entre as pessoas em um mundo conturbado que vive em rápidas e profundas Transformações. A segunda parte do livro tem como base a comemoração da chegada da Corte Portuguesa ao Rio de Janeiro e pretende responder a pergunta: O Brasil tem jeito? Na última parte o livro aborda as questões da reforma urbana nas cidades brasileiras e seus desafios. Na melhorias livrarias.

Inquisição - O Reinado do Medo

O jornalista e professor Toby Green apresenta neste livro um dos mais sombrios e terríveis momentos da história: o período da Inquisição. O autor pesquisou arquivos Secretos do Vaticano e outros importantes centros históricos em busca de relatos e eventos da época. O livro mostra que a Inquisição serviu como inspiração para governos totalitários como o nazismo. Nas melhores livrarias.

OS HERÓIS DO OLIMPO 1 - O HERÓI PERDIDO

Mais uma série do criador de “Percy Jackson e os Olimpianos”. Novos e antigos personagens do Acampamento Meio-Sangue fazem parte dessa série. Nesse livro Rick Riordan volta ao universo de Percy Jackson os Olimpianos em mais aventuras, humor e mistério. Mais uma vez os campistas seguem em uma jornada de sobrevivência com ajuda de heróis e semideuses. Uma aventura fantástica! Nas melhores livrarias.

Chef em Casa:você Pode Fazer Até 27.000 Cardápios Completo

A apresentadora Ana Maria Braga selecionou para este livro 90 receitas práticas e variadas. São cardápios completos com receitas de entradas, pratos principais e sobremesas em mais de 27 mil combinações para você se tornar uma verdadeira Chef de Cozinha. Nas melhores livrarias.

SOCIAL - CAROLINE SILVA

Em recente passagem pela city, o procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Dr. Paulo Prado e o delegado-coordenador do Polícia Judiciária Civil Comunitária, Dr José Adbias, posaram para foto com o jornalista Dorjival Silva e o competente advogado Jonas Rachid Murad Filho.

Psicopedagoga Glória Custódio, esta colunista e a jornalista Luciana Menoli em recente passagem pela Casa de Leis de Mato Grosso.

Em recente visita ao Distrito São Joaquim, o promotor de Justiça, Dr. Antonio Moreira da Silva foi agraciado com simpáticos gestos de confiança pelos moradores da comunidade.

IMPRENSA – A Associação Tangaraense de Imprensa – ATI, lançou edital de convocação ao seu quadro de sócios efetivos para participar de uma assembléia geral ordinária às 19h, da sexta-feira, dia 3 de julho, no Plenário Daniel Lopes da Silva. Na oportunidade, além da entidade fazer prestação de contas, realizará eleições para escolha de sua nova diretoria.

QUENTES & FRIAS

Tangará da Serra ganha O Tangaraense um belo e inteligente projeto jornalístico que tanto esperávamos que circulasse nas manhãs de domingo.

O jornalista Dorjival Silva não parar de inovar. Depois do sucesso de seu blog Diário de Tangará (diariodetangara.com) que ultrapassou a casa de um milhão de visitas, lançou o Portal MT Turismo (mtturismo.com.br) e o Jornal O Tangaraense. Seu próximo passo será a instalação de uma rádio comunitária FM na cidade.

Sai presidente e entra presidente e o jornalista Lauro Vaccari permanece em seu posto de assessor de imprensa da Câmara de Vereadores de Tangará da Serra. Sinal de que é competente e responsável e, sobretudo, de confiança de todos os edis.

O empresário Antonio Carlos Cabral Amaral tem falado abertamente que deverá deixar a cidade, mudando sua mega estrutura empresarial para outra urbe brasileira. É uma pena que gente tão empreendedora como Cabral e sua esposa doutora Elanie Brinker não esteja recebendo da classe empresarial manifestos de solidariedade pelo que tem sofrido nos últimos tempos.

Esta coluna está aberta para contato com quem desejar anunciar, divulgar, informar eventos dos variados setores de nossa sociedade.

Para divulgação de aniversários, casamentos, bodas, desfiles de moda, novas tendências, etc., entre em contato com a coluna pelo fone (65) 96285314) em horário comercial.

COTIDIANO

MP intima pela 2ª vez Jaconias e secretários para assinatura de TAC com o São Joaquim

Abandona e entregue à própria sorte, comunidade exige que prefeitura acabe de vez com problemas do Distrito

Da Redação

Promotor de Justiça da comarca de Tangará da Serra, Antonio Moreira da Silva intimou pela segunda vez o prefeito em exercício José Jaconias da Silva (PT) e os secretários municipais republicanos Wellington Bezerra (Esportes), Júnior Schleicher (Saúde) e Clóvis Batista (Sinfra) para comparecerem no próximo dia 16, às 17h, na sede do Ministério Público para assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta –TAC com os moradores do Distrito São Joaquim. O documento deveria ter sido assinado no dia 7, na primeira audiência marcada pela promotoria. Mas, não o foi porque o prefeito e dois de seus secretários (Bezerra e Schleicher) não respeitaram à intimação do MP, sequer justificando oficialmente a ausência.

O distrito São Joaquim vem sofrendo há anos seguidos abandono e descaso por parte do poder público municipal e estadual. Conforme já denunciado pela imprensa local e regional, a localidade habitada por mais de mil pessoas, sequer recebeu atenção básica nos últimos anos.

Com ruas cheias de buracos, matagal e lixo, iluminação precária, ausência de telefonia móvel celular, constantes problemas técnicos nos três “orelhões”, falta de medicamentos de uso continuo e precário atendimento no postinho de Saúde, correios fechados há mais de dois anos, falta de policiamento preventivo e ostensivo, ausência de oportunidades para os jovens, falta de investimento em práticas esportivas e a única unidade escolar (do estado) para desabar a qualquer momento, não restou alternativa à comunidade senão suplicar por socorro ao Ministério Público Estadual.

SENSIBILIDADE - O problema é que as autoridades políticas do município não têm demonstrado a menor sensibilidade possível para acabar de vez com o sofrimento das centenas de pessoas que moram no Distrito.

E assim, o abandono imposto pela atual administração municipal aos moradores do São Joaquim tem levado a muitos a desistirem de continuar morando na comunidade. Outro assunto preocupante é o fato de aproximadamente, segundo dados da própria comunidade, mais de 30% terem transferidos seus domicílios eleitorais, embora residindo no Distrito, para o município vizinho de Santo Afonso. Um eleitor que prefere manter-se no anonimato disse que também estaria assim procedendo em repúdio ao desprezo imposto à comunidade pelas autoridades municipais.

A Associação de Moradores espera que o prefeito petista Jaconias da Silva e seu secretariado, com urgência, acabem de vez com tamanha crueldade imposta às crianças, jovens, homens, mulheres e mais de cem idosos que residem no São Joaquim. Entende também que se a prefeitura tivesse cumprido suas obrigações básicas, não teria sido necessária essa ação imposta pelo Ministério Público Estadual.

Novos escrivães e investigadores tomam posse dia 21


A solenidade de posse dos novos 375 policiais civis será realizada no Hotel Fazenda Mato Grosso, às 16 horas, do dia 21 de junho de 2011, conforme Portaria Conjunta da Secretaria de Estado de Administração e da Polícia Judiciária Civil, publicada no Diário Oficial Eletrônico de Mato Grosso, do dia 7 de junho, que circulou nesta quarta-feira (08).

Os 244 Escrivães e 131 Investigadores de Polícia nomeados deverão estar no local do evento, com duas horas de antecedência, para assinatura do livro de posse. O traje dos empossados é passeio completo.

Todos os candidatos aprovados e classificados para os cargos de Investigador e Escrivão da Polícia Judiciária Civil foram nomeados pelo Governo do Estado, em edital publicado no Diário Oficial Eletrônico, no dia 19 de maio.

A posse acontecerá no Hotel Fazenda Mato Grosso, localizado na Rua Antônio Dorileo, nº 1.100, bairro Cophema, Coxipó, Cuiabá.

Documentos: Termina no dia 17 de junho, o prazo para entrega dos documentos especificados na Instrução Normativa nº 007/2010. Durante esse período, o candidato também deverá passar pela perícia médica, entregando os exames solicitados. As instruções estão na Portaria Conjunta SAD/PJC de nº 021/2011.

Da Redação do GD/CNJ

Milhares de adolescentes infratores no cadastro do CNJ

Mais de 86 mil adolescentes de 12 a 17 anos já passaram pelo Cadastro Nacional de Adolescentes em Conflito com a Lei, criado em fevereiro de 2009, e mantido pelo Conselho Nacional de Justiça, para reunir o histórico e o perfil dos infratores. Segundo consulta realizada no final de maio, são 86.696 jovens inscritos e um total de 112.673 processos cadastrados, entre ativos e conclusos, desde a criação do banco de dados. O juiz auxiliar da presidência do CNJ Reinaldo Cintra explicou que os adolescentes cadastrados foram ou estão sendo processados. De acordo com o levantamento, o número de processos ativos chega a 80.490. Atualmente 28.467 jovens estão cumprindo algum tipo de medida socioeducativa, que pode variar da advertência até a internação em estabelecimento educacional.


Também, segundo o cadastro, a maior parte dos jovens cadastrados é do sexo masculino (25.802). E o número de adolescentes que estão cumprindo a medida socioeducativa de internação chega a 4.546 em todo o país.

“O cadastro engloba adolescentes que respondem por algum tipo de processo para apuração de ato infracional e/ou estão cumprindo medidas socioeducativas, entre as quais prestação de serviço à comunidade, liberdade assistida, semiliberdade ou mesmo internação”, explicou Cintra.

O juiz é um dos responsáveis pelo Programa Justiça ao Jovem, um dos projetos criado pelo CNJ na área da infância e Juventude para promover a análise da forma como se processa a execução da medida socioeducativa de internação, bem como as condições físicas e pedagógicas das unidades que recebem os jovens infratores.

O programa existe desde junho de 2010. Praticamente todos os estados já foram visitados. Falta apenas São Paulo, cuja visita está prevista para ocorrer no segundo semestre deste ano. Segundo Cintra, a ideia é lançar, até o final do ano, uma radiografia de todo o sistema socioeducativo, justamente com base nas visitas realizadas às unidades do país. O objetivo é criar políticas públicas apropriadas para os problemas encontrados nas visitas.

OPINIÃO

A violência não tem classe social

EVÂNIO ARAÚJO

Falar-se em violência sem envolver a família, desigualdade social, falta de saúde, educação, desemprego, liberdade de pensamento, entre outros parâmetros é pura utopia ou hipocrisia demais.

É a mais pura balela querer atribuir aos menos favorecidos a responsabilidade pelos altos índices de violência, pois os “ricos” também praticam violência diariamente e às vezes com mais frequência que os pobres, mas abafam, inclusive, parte da imprensa.

A diferença entre um crime praticado por um cidadão de classe menos favorecida e um abastado, é tão somente o ponto de vista como é visto pelos vários seguimentos sociais. A própria polícia e a justiça lidam com o problema de modo diferenciado.

As distinções começam desde a linguagem usada como referência: o pobre, antes mesmo de concretizada as provas, já é meliante, bandido, marginal, etc., enquanto o rico chamam-no de possível suspeito e nos casos mais graves e públicos de indiciado.

Os menos favorecidos se tiverem um bom advogado, ambos já passam a ser motivo de estranheza para alguns, como se um pobre não tivesse o direito a ter uma boa prestação de serviço, seja ela qual for, pois nem sempre o fato de ser pobre é sinônimo de culpa, é apenas um ser mais vulnerável a certas circunstâncias que pode levá-lo ao crime.

Quantos crimes já não foram praticados decorrentes de humilhação? Exploração? Prepotência? Deboche? Traição? Mentira? Ou seja, consequência de uma situação desrespeitosa em relação ao infrator! A família pode ser causa e/ou efeito da violência, depende das circunstâncias do envolvimento e dos fatores decorrentes.

Não adianta um discurso politicamente correto sobre violência, que segurança é um direito constitucional, se não temos a sensatez de combater o mal pela raiz, evitando as situações acima entre outras que não lembro agora.

Não adianta armar a polícia, aumentar o contingente. Tem de evitar a banalização no uso de armas e dá condições de apoio as famílias, único meio de combatermos a violência desenfreada, não somente aqui, mas em todo o País.

O autor é advogado.

 
Blogger Templates