Subscribe:

Ads 468x60px

26 de junho de 2011

GERAIS

ASSUSTADOR
Semec registra mais de seis mil casos de bulliyng em 2010

No sentido de prevenir a prática do bulliyng nos Centros Municipais de Ensino a Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Tangará da Serra (SEMEC) vem desenvolvendo algumas ações preventivas. Uma delas foi a criação do Programa do Serviço de Orientação Educacional - “OrientAção” que consistiu na designação de um Coordenador Pedagógico para exercer a função de Orientador Educacional nos CMEs.

De acordo com a Chefe do Departamento Pedagógico Eude Camargo da Silva Pinto ao todo são nove profissionais da educação efetivos no Sistema Municipal de Ensino com habilitação em nível superior em diferentes cursos de licenciaturas e especializações, trabalhando em regime integral (40 horas semanais).

Esses profissionais passam por uma formação continuada, para possibilitar o debate em torno das questões que envolvem o cotidiano escolar e os aspectos ligados a psicologia humana. O Curso de Formação Continuada acontece mensalmente. Além dos estudos teóricos, é feito uma avaliação diagnóstica das ações desenvolvidas.

Eudes diz que o papel do coordenador que exerce a função de orientador educacional é fazer a mediação entre os alunos, os professores e a família, através de um trabalho de acompanhamento e aconselhamento individual junto aos alunos que mais necessitam, buscando meios para minimizar os problemas de violência explícitos no cotidiano escolar e resgatar o diálogo necessário para a formação de valores éticos que possibilitem aos alunos refletirem sobre suas ações, tanto em relação aos colegas, quanto em relação aos pais e professores.

“O trabalho do orientador educacional também contribui para que se multipliquem nas escolas, ações como: palestras de orientação para pais, alunos e professores, num trabalho interdisciplinar, que possibilite a inserção e discussão dos temas transversais, bem como a disseminação da Lei Municipal 3.100 de 07 de Abril de 2009 de autoria do Vereador Luis Henrique Barbosa Matias, que dispõe sobre o programa de combate ao “bullying” nas escolas públicas municipais”, observa a educadora.

REGISTROS - No ano letivo de 2010 foram registrados 6.096 (seis mil e noventa e seis) atendimentos a alunos matriculados nos CMEs, envolvendo desavenças internas, (ocorrências de brigas no interior da escola), desavenças externas (ocorrências de brigas fora da escola), que influenciam no andamento da escola em função do envolvimento dos alunos, agressões verbais, agressões físicas, depredação do patrimônio público, não cumprimento das atividades escolares. Além disso, o orientador faz a intermediação em situações conflituosas dando atendimento aos pais ou responsáveis e atendimento ao chamado de professores quando solicitado, acompanhamento aos alunos com problemas comportamentais.

Em quase todos os Centros Municipais de Ensino são realizadas palestras envolvendo profissionais de diferentes áreas do conhecimento (psicólogos, professores, religiosos e outros), de acordo com a necessidade da comunidade escolar tanto por iniciativa dos CMEs, quanto através do Programa “Família e Escola, aprendendo e Interagindo”.

Por último a Chefe do Departamento Pedagógico destaca que a Secretaria Municipal de Educação vem dando subsídios através do serviço de orientação educacional o combate ao bullying, por tratar-se de um problema mundial, que vem se disseminando largamente nos últimos anos. “Acreditamos que seja necessário lançarmos um olhar mais observador por parte de todos os profissionais da educação, ressaltando ainda a necessidade de participação e cooperação da família e da sociedade em geral para alcançar soluções necessárias para este problema que a cada dia atinge maiores proporções”, pontuou.

O que é bullying

O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Como verbo, quer dizer ameaçar, amedrontar, tiranizar, oprimir, intimidar, maltratar e pode ser manifestado em qualquer lugar onde existam relações interpessoais.

É um dos problemas mais comentados na atualidade e considerado um problema de saúde pública que vem despertando o interesse de muitos pesquisadores na área da educação e da saúde.

Estudos indicam que as simples “brincadeirinhas de mau-gosto” de antigamente, hoje denominadas bullying, podem revelar-se em uma ação muito séria. Causam desde simples problemas de aprendizagem até sérios transtornos de comportamento que podem ser responsáveis pelo aumento dos índices de suicídios e homicídios entre os estudantes.

Mesmo sendo um fenômeno antigo, mantém, ainda hoje um caráter oculto, pelo fato das vítimas não terem coragem suficiente para fazer denúncias. Isso contribui com o desconhecimento e a indiferença sobre o assunto por parte dos profissionais ligados a educação e até mesmo dos pais dos alunos agredidos.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Blogger Templates