Subscribe:

Ads 468x60px

19 de julho de 2011

Romanhuk é contra o aumento do número de vereadores no Legislativo

Favoráveis argumentam que poucos vereadores deixam a Câmara mais vulnerável na relação com o Executivo

Presidente da Câmara de Vereadores de Tangará da Serra, o democrata Miguel Romanhuk é terminantemente contra o aumento da quantidade de parlamentares previsto para vigorar a partir das eleições de 2012. Em entrevista ao O Tangaraense, ele justificou que não tem sentido uma Câmara do porte da deste município, praticamente duplicar o número de vereadores, saindo dos 10 atuais para 17, como vem sendo comentado.

Para Miguel Romanhuk, 10 vereadores já seriam o suficiente para atender com a atenção devida a população de Tangará da Serra. O democrata é da opinião de que muitos vereadores ao invés de colaborarem positivamente com o município, poderão vir a atrapalhar.

Ele diz que se dependesse de sua pessoa, o Legislativo tangaraense permaneceria sem alteração alguma. “O que está precisando em Tangará da Serra não é de mais vereadores, mas de vereadores responsáveis que de uma vez entendam que seu papel é fiscalizar”, comentou.

Romanhuk questionou ainda a enorme quantidade de leis criadas pelos vereadores, mas que na prática, sequer são conhecidas. “Não precisamos de mais vereadores para criação de novas leis. Se os vereadores existentes fiscalizassem o cumprimento das que já existem, já seria de bom tamanho o município”, frisou.

PEC 336 – O vereador Miguel Romanhuk não está sozinho nesse pensamento. Com ele, existem até movimentos em vários municípios brasileiros contra o aumento do número de vereadores nas Câmaras Municipais, mesmo ela tendo sido promulgada pelo senador federal.

Os contrários têm os seguintes argumentos:

I – A grande maioria dos municípios brasileiros é de médio a pequeno porte, e consequentemente as Câmaras Municipais, sobrevivem com extrema dificuldade face ao valor do repasse do duodécimo, não ser suficiente sequer para pagar a remuneração a que o Vereador tem direito constitucional.

II – Aumentar o número de vagas, não traz nenhum benefício prático à sociedade, mas sim, beneficia apenas os oito mil postulantes às vagas que abrirão, sendo que em detrimento da posse desses Vereadores, muitos servidores terão que ser demitidos, o que fatalmente gerará um gravíssimo problema social.

III – O aumento do número de Vereadores é uma medida anti-popular, pois segundo pesquisa nacional, foi constatado que mais de 90% do povo brasileiro, são contra o aumento do número de Vereadores. Isto é fato, basta que se faça esta pergunta, em qualquer rua, qualquer comércio, qualquer colégio ou faculdade, a voz é uma só, manifestando-se contra o assunto.

IV – O aumento do número de Vereadores aumenta as despesas, pois, tem que se alugar ou construir espaço físico para abrigar os mesmos, sendo que também aumentará os gastos de manutenção destes gabinetes, com água, luz, computadores e muitas outras despesas necessárias à prática da atividade parlamentar.

V - As Câmaras Municipais ficarão mais enfraquecidas e porque um erro não conserta outro. Aumentar o número de Vereadores e diminuir o valor do repasse às Câmaras é assinar um atestado de falência do Poder Legislativo Municipal, porque não há como funcionar dignamente, mais de três mil Câmaras Municipais neste País.

FAVORÁVEIS - O grupo dos favoráveis ao aumento do número de vereadores argumenta que, o repasse para as Câmaras Municipais já está fixado no seu máximo, e mesmo aumentando o número de vereadores, elas terão que adequar o seu custo com o repasse que já recebem. É notório que muitas casas legislativas municipais trabalham com folga, chegando até a devolver verbas para os caixas municipais por falta de onde investir.

Reforçam ainda que uma Câmara Municipal com mais “cadeiras” será mais representativa, podendo alguns setores da sociedade que hoje não estão representados na Câmara estar com um número maior de vereadores. Hoje em Tangará da Serra onde tem 10 vereadores, e não se tem, por exemplo, nenhuma mulher e nenhum advogado ou jornalista, além de outros setores não representados. Com um número maior de vereadores aumenta a possibilidade de outros setores estarem representados.

Uma Câmara como hoje se tem em Tangará da Serra, cidade com aproximadamente 90 mil habitantes, com poucos vereadores torna-se muito vulnerável na relação com o Executivo Municipal. Sabe-se que a Câmara dos Vereadores deve fiscalizar o Executivo, além de legislar. Em Tangará da Serra, para o Prefeito conseguir a maioria simples ele precisa de seis vereadores e a maioria qualificada (dois terços) oito vereadores. Este número pequeno de vereadores faz com que o Prefeito controle o legislativo facilmente, distribuindo cargos, atendendo aos pedidos para reparos entre outras ações. Deste modo, qualquer assunto de interesse do Executivo Municipal corre-se o risco de ser votado na Câmara de acordo com a vontade do Executivo, causando um grave problema na autonomia dos poderes de Estado e limitando a fiscalização sobre o Executivo.

ESCLARECIMENTO – Os contrários ao pensamento do vereador tangaraense Miguel Romanhuk dizem ainda que o que se precisa fazer é levar o esclarecimento a todos, e romper com a demonização, que prejudica a democracia. Com isso combatendo o mandonismo, onde a população fica refém de gestões, no mínimo incompetentes, que controlam o Legislativo Municipal na canetada com facilidade. O exemplo da Câmara Federal, com mais de quinhentos deputados, onde sempre os presidentes têm dificuldades, em alguns momentos para aprovar ou reprovar assuntos de seu interesse. Esse suposto “conflito” entre Executivo e Legislativo fortaleceria a democracia.

Antonio Carlos Cabral profere palestra sobre reciclagem para alemães


“Eles ficaram impressionados e também felizes com o que lhes foi apresentado”

O empresário tangaraense Antonio Carlos Cabral Amaral proferiu palestra sobre reciclagem, na primeira semana de julho, para um grupo de turistas alemães, liderado por Harry e Wolfgang, provenientes da cidade de Syke-Alemanha que se encontrava em visita a cidade Tangará da Serra. De acordo com o empresário, os estrangeiros estiveram no município por meio de um intercâmbio internacional entre as Igrejas Luteranas do Brasil e daquele País.

Entre os vários lugares e empresas que os alemães tiveram a oportunidade de conhecer, um deles foi a sede da Allata Aleris, em Tangará da Serra. De acordo com o diretor Cabral, eles fizeram questão de visitar essa empresa para conhecer o desenvolvimento do sistema de coleta e seleção de materiais para reciclagem, realizado por ela.

No local, o empresário proferiu palestra sobre a reciclagem, abordando profundamente a questão, demonstrando que a coleta seletiva de lixo contribui de forma muito positiva para preservar a natureza, gerar emprego e melhorar a qualidade de vida no planeta. “Eles ficaram impressionados e também felizes com o que lhes foi apresentado. Não imaginavam encontrar, na cidade de Tangará da Serra, projetos tão importantes para a preservação do meio ambiente, que geram emprego e renda para tantas pessoas”.

Na ocasião, Cabral falou também sobre outros projetos desenvolvidos pelo Centro de Capacitação em Reciclagem em Tangará da Serra como a Expedição Reciclar, onde ele viaja por toda a região para repassar informações quanto a reciclagem e ainda auxilia na criação de Centros de Capacitação em algumas dessas cidades, assim como tem em Tangará da Serra, através da Allata, e ainda outros como o Vale Luz, Vale Água e Bio Bake,

ALLATA - Em Tangará da Serra, a Allata foi implantada pelo empresário Antônio Carlos Cabral Amaral. Foi criada com intuito de trabalhar com o lixo obtido a partir da coleta seletiva. A Allata já é destaque entre as ações desenvolvidas através do Centro de Capacitação em Reciclagem, atendendo a aproximadamente 18 municípios da região de Tangará da Serra. A empresa tem por objeto social a compra, venda e transporte de embalagens de bebidas e outras formas de alumínios, plásticos e vidro; comércio atacadista de UBC, sucata e outras formas de alumínio em metal fundido ou lingote; resíduos de papel e papelão recicláveis; de sucatas não metálicas; prestação de serviços de coleta seletiva de resíduos sólidos, incluindo a implantação do sistema e o treinamento, a coleta e o transporte dos materiais.

Através do Centro de Capacitação em Reciclagem, a Allata promove a Educação Ambiental, com palestras; geração de emprego e renda, por meio da capacitação de cooperativa de catadores; estimula a abertura de novos negócios; realiza treinamento de agentes públicos ligados à questão de resíduos sólidos, ampliando a consciência ambiental entre a população e combatendo o trabalho infantil nos lixões.

O Tangaraense com informações do Diário da Serra

Mais de 92% são reprovados no exame da OAB

Da Redação

Mato Grosso obteve um dos piores índices de aprovação no exame da Ordem, realizado no início deste ano. Dos 2.884 inscritos, apenas 7,35% conseguiram passar pela segunda fase e obter a liberação para advogar. É o pior índice dos últimos anos e também está abaixo do nacional, que foi de 9,74%.

Para a segunda fase foram aprovados 439 (15%) candidatos. Porém, somente 212 conseguiram passar pela segunda prova.

Para a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) o resultado é o retrato da péssima qualidade do ensino jurídico oferecido no país. O presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem e secretário-geral da OAB em Mato Grosso, Daniel Paulo Maia Teixeira, explica que a redução no número de aprovados ocorreu com a inscrição de bacharéis oriundos de faculdades particulares no exame. A maioria passou a oferecer o curso nos últimos anos. "Essas novas turmas estão formando, mas não conseguem passar no exame".

Segundo ele, mesmo que chegue a 20% de aprovação, o percentual vai estar longe do ideal. "É reflexo do mau aprendizado dos bacharéis mesmo depois de 5 anos de faculdade".

A OAB de Mato Grosso acredita que 50% dos cursos de direito oferecidos no Estado não conseguem atender os critérios de qualidade necessários para formar advogados.

O presidente da Ordem, Cláudio Stábile, afirma que a entidade sempre é consultada pelo Ministério da Educação (MEC) na abertura de um novo curso. Porém, mesmo sendo contrário, o parecer dado não é levado em consideração. "Nós damos o parecer contrário quando não há professor capacitado, com currículo, que o número de alunos em sala é muito alto, mas o MEC não leva isso em consideração".

Ele cita exemplo de cidades com 10 anos de existência onde há até 3 faculdades de Direito. "Um estudo realizado pela OAB apontou que no Brasil estão mais de 50% dos cursos de Direito oferecidos no mundo. São 1.240 faculdades, enquanto que no resto do mundo são 1.100".

No início de junho, a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC suspendeu 10.912 vagas para o curso de Direito devido ao baixo índice no Conceito Preliminar de Curso (CPC). Em Mato Grosso, houve a redução de 242 vagas, que não conseguiram bom desempenho no aprendizado dos estudantes, corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos. "A decisão sinaliza que o MEC está reconhecendo que tem algo errado, que faculdade não é comércio".

Na opinião de Stábile, as exigências do exame da Ordem não devem ser minimizadas para resolver o problema da má qualidade do ensino oferecido no país. "O advogado lida com questões fundamentais como os direitos da família, liberdade da pessoa, a área financeira, e precisa estar preparado. Qualquer carreira na área jurídica realiza provas para o ingresso, seja na Defensoria, Ministério Público ou magistratura. E boas faculdades têm aprovação boa, tanto públicas quanto privadas".

“Lei das Prisões” já está em vigor em todo Brasil

No dia 4 de maio passado, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei 12.403/11, que altera dispositivos do Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941 do Código de Processo Penal (CPP), relativos à prisão processual, fiança, liberdade provisória, demais medidas cautelares. A lei passou a vigorar na semana passada em todo o Brasil, e desde a sua sanção tem causado muita polêmica e dividido opiniões.

Para quem não é da área jurídica, a aprovação da lei significa que crimes como homicídio simples, roubo à mão armada, lesão corporal gravíssima, uso de armas restritas (fuzil, pistola 9 mm, dentre outras), desvio de dinheiro público, corrupção passiva, peculato, extorsão, dificilmente admitirão a prisão preventiva ou a manutenção da prisão em flagrante, pois em todos esses casos será cabível a conversão da prisão em uma das nove Medidas Cautelares.

Portanto, nos próximos meses criminosos de várias espécies vão poder transitar tranquilamente pelas ruas, mesmo depois de terem cometido delitos graves. A lei dá brechas para que isso ocorra, caso o juiz responsável pelo processo decida adotar uma medida cautelar para criminosos condenados abaixo de quatro anos de reclusão.

Segundo consta, a nova lei estendeu a fiança para crimes punidos com até quatro anos de prisão, coisa que não era permitida desde 1940 pelo Código de Processo Penal. Agora, nos crimes de porte de arma de fogo, disparo de arma de fogo, furto simples, receptação, apropriação indébita, homicídio culposo no trânsito, cárcere privado, corrupção de menores, formação de quadrilha, contrabando, armazenamento e transmissão de foto pornográfica de criança, assédio de criança para fins libidinosos, destruição de bem público, comercialização de produto agrotóxico sem origem, emissão de duplicada falsa, e vários outros crimes punidos com até quatro anos de prisão ninguém permanece preso (só se for reincidente). Em todos esses casos o delegado irá arbitrar fiança diretamente, sem análise de promotor ou juiz. Salvo em crimes gravíssimos, com a entrada em vigor das novas regras, quase ninguém ficará preso após cometer vários tipos de crimes que afetam diariamente a sociedade.

Diante da polêmica gerada pela aprovação da lei, O Tangaraense foi às ruas conversar com as pessoas para saber a opinião popular. Veja alguns depoimentos: o empresário Marcelo Macedo disse que a lei está contribuindo ainda mais para a propagação da violência, assegurando direitos aos criminosos.

"Nos próximos meses não se assustem se você encontrar na rua o assaltante que entrou armado em sua casa, o ladrão que roubou seu carro, o criminoso que desviou milhões de reais dos cofres públicos, o bandido que estava circulando armado em via pública, o estuprador, o pedófilo e por aí vai. Legalmente, eles terão os mesmos direitos de ocupar o mesmo espaço do homem de bem", desabafou o empresário.

Emerson Duarte, estudante do ensino médio, disse que a sociedade deve se preocupar mesmo com as novas medidas e que cada vez mais o cidadão trabalhador vai correr riscos em casa e na rua. "Acho que vai chegar o dia em que o bandido vai sobrepujar o homem honesto. É muito mais cômodo para o bandido de que para o cidadão", disse.

Quais mudanças ocorrerão com a nova lei prisional

O Tangaraense apurou no decorrer de toda a primeira semana em que a Lei 12.403/11 passou a vigorar como ela vai influir na sociedade.

Em relação às mudanças, é certo que as prisões temporárias vão ficar mais difíceis de acontecer devido à lei abrir brechas para o uso de medidas cautelares, que deverão ser aplicadas no lugar das prisões preventivas.

A Constituição Federal assegura que ninguém será preso enquanto houver a liberdade provisória e a lei em questão assegura essa cláusula constitucional. É claro que quando houver o perigo iminente à sociedade, por parte do infrator, nada impede a um juiz de expedir a prisão preventiva do acusado e isso é considerado uma exceção.

Impunidade

É de se esperar que a nova lei cause sensação de impunidade à sociedade, devido existir casos onde se tornará impossível colocar na cadeia alguém que cometeu o crime. Existiram casos em que será impossível colocar o infrator na prisão e o infrator vai circular normalmente pelas ruas. Só o fato das pessoas verem o criminoso solto vai gerar a sensação de impunidade. Pela lei isso não seria impunidade, mas para o senso comum vai ser e para tirar essa ideia das pessoas é muito complicado.

Soltura

Elementos que cometeram algum tipo de crime cuja pena é inferior a quatro anos de reclusão e atualmente estão detidos em uma instituição penal provisória, também vão poder ter o direito de serem beneficiados pela lei.

Os presos provisórios já podem solicitar que seus advogados entrem com o pedido de substituição da pena por uma medida cautelar, de acordo com a lei. Mas é bom que se entenda que a substituição só valerá para quem aguarda julgamento. Quem já foi condenado vai continuar preso.

População teme que aplicação de medidas cautelares desencadeie “justiça com as próprias mãos” generalizadas

Um dos principais temores da sociedade é que a aplicação da Lei das Prisões, que passou a vigorar desde a semana passada em todo o Brasil, possa desencadear uma onda ainda maior de violência, onde as pessoas vão querer fazer "justiça com as próprias mãos”.

Toda preocupação gira em torno do fato que se um elemento comete um crime no bairro onde reside, por exemplo, e passa a gozar de uma medida cautelar e voltar a conviver diariamente no mesmo espaço da vítima, essa por sua vez indignada por ter sido prejudicada e "aparentemente" não aconteceu nada com o criminoso, tende a desacreditar da Justiça e passa a nutrir sensação de vingança.

Em todo caso é bom que as pessoas continuem acreditando que vai dar certo, que a Justiça vai continuar direcionando as leis e que a sociedade não desacredite e venha querer fazer suas próprias leis.

Dispensada, cozinheira diz que trabalhou sem contrato para a SEMEC e ainda tem pagamento por receber


Marlei Inácio de Souza relatou ao secretário que seu “emprego” teria sido arranjado por uma funcionária da SEMEC identificada por Cida

Da Redação

A cozinheira Marlei Inácio de Souza, moradora do Distrito São Joaquim, procurou a redação do O Tangaraense na semana para denunciar que prestou serviços à SEMEC no período de 14 de fevereiro até o dia 9 de junho sem ser contratada. Pior: ela teve seus serviços dispensados da creche municipal anexa à Escola Estadual Antonio Hortonali na segunda quinzena de junho, e até o presente, não recebeu os salários atrasados, as cópias de seus documentos pessoais (inclusive a carteira de trabalho (cic) ) e seus direitos trabalhistas.

Sensibilizada com a situação enfrentada pela dona de casa, a reportagem a conduziu até a Secretaria Municipal de Educação para repassar o caso ao titular da pasta, o professor Edilson Cruz. O mesmo se disse surpreso com o caso uma vez não entender como o município teria admitido essa mulher para trabalhar numa creche sem os devidos procedimentos legais.

A cozinheira relatou ao secretário que seu “emprego” teria sido arranjado por uma funcionária da SEMEC identificada por Cida, mas com o aval da então secretária. “Elas me chamaram aqui (Semec), pediram meus documentos, inclusive minha carteira profissional, disseram que eu iria prestar serviços ao município, mas seria contratada por uma empresa de São Paulo, que também seria responsável pelos meus pagamentos”, informou.

Ela disse ainda que começou a trabalhar no dia 28 de fevereiro, mas ao final do mês de março teria recebido por 45 dias trabalhados. Um segundo pagamento lhe teria sido feito no dia 15 de maio, oportunidade em que também recebeu por mais 45 dias trabalhados. Daí até a demissão, não recebeu mais pagamento algum.

Ao tomar conhecimento do caso, o secretário de educação disse que iria averiguá-lo para tomar as providências cabíveis. “Não entendo como essa senhora prestou seus serviços por tanto tempo à SEMEC, sem contratação alguma, recebendo seus pagamentos aleatoriamente e por cima sendo demitida sem justa causa estando ainda por receber salários atrasados e seus direitos trabalhistas” completou.

Na presença da reportagem, a chefe de gabinete da SEMEC, professora Lenilce Barbosa manteve contato com a funcionária identificada por Cida para colher informações sobre o caso. A servidora municipal confirmou que pegou os documentos da cozinheira Marlei Inácio e os repassou para uma empresa com endereço estabelecido em São Paulo. Garantindo na oportunidade que os documentos de Marlei seriam devolvidos nesta semana. Mas não falou os direitos trabalhistas dela.

Em face do problema, o secretário Cruz garantiu que a SEMEC reconhecerá a dívida deixada pela empresa e adotará os procedimentos para quitá-la o mais rápido possível. À reportagem ficaram várias indagações. Que empresa era essa que contratava cozinheiras para servir ao município? E por que não contratou Marlei, quase um semestre depois, antes de demití-la? E se não a contratou, por que também não pagou os direitos devidos da servidora? No entanto, a pergunta que quer resposta é essa? Quantas pessoas estão na mesma situação de Marlei Inácio de Sousa?

CÂNCER DE MAMA: O mais temido pelas mulheres

O câncer de mama é provavelmente o mais temido pelas mulheres, devido à sua alta freqüência e, sobretudo pelos seus efeitos psicológicos, que afetam a percepção da sexualidade e a própria imagem pessoal. Ele é relativamente raro antes dos 35 anos de idade, mas acima desta faixa etária sua incidência cresce rápida e progressivamente.

Este tipo de câncer representa nos países ocidentais uma das principais causas de morte em mulheres. As estatísticas indicam o aumento de sua freqüência tantos nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nas décadas de 60 e 70 registrou-se um aumento de 10 vezes nas taxas de incidência ajustadas por idade nos Registros de Câncer de Base Populacional de diversos continentes.

No Brasil, o câncer de mama é o que mais causa mortes entre as mulheres.

Os sintomas do câncer de mama palpável são o nódulo ou tumor no seio, acompanhado ou não de dor mamária. Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante a casca de uma laranja. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila.

História familiar é um importante fator de risco para o câncer de mama, especialmente se um ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) foram acometidas antes dos 50 anos de idade. Entretanto, o câncer de mama de caráter familiar corresponde a aproximadamente 10% do total de casos de cânceres de mama. A idade constitui outro importante fator de risco, havendo um aumento rápido da incidência com o aumento da idade. A menarca precoce (idade da primeira menstruação), a menopausa tardia (após os 50 anos de idade), a ocorrência da primeira gravidez após os 30 anos e a nuliparidade (não ter tido filhos), constituem também fatores de risco para o câncer de mama.

Ainda é controvertida a associação do uso de contraceptivos orais com o aumento do risco para o câncer de mama, apontando para certos subgrupos de mulheres como as que usaram contraceptivos orais de dosagens elevadas de estrogênio, as que fizeram uso da medicação por longo período e as que usaram anticoncepcional em idade precoce, antes da primeira gravidez.

A ingestão regular de álcool, mesmo que em quantidade moderada, é identificada como fator de risco para o câncer de mama, assim como a exposição a radiações ionizantes em idade inferior a 35 anos.

As formas mais eficazes para detecção precoce do câncer de mama são o exame clínico da mama e a mamografia.

Quando realizado por um médico ou enfermeira treinados, pode detectar tumor de até 1 (um) centímetro, se superficial. O Exame Clínico das Mamas deve ser realizado conforme as recomendações técnicas do Consenso para Controle do Câncer de Mama.

A sensibilidade do ECM varia de 57% a 83% em mulheres com idade entre 50 e 59 anos, e em torno de 71% nas que estão entre 40 e 49 anos. A especificidade varia de 88% a 96% em mulheres com idade entre 50 e 59 e entre 71% a 84% nas que estão entre 40 e 49 anos.

A Mamografia

A mamografia é a radiografia da mama que permite a detecção precoce do câncer, por ser capaz de mostrar lesões em fase inicial, muito pequenas (de milímetros).

É realizada em um aparelho de raio X apropriado, chamado mamógrafo. Nele, a mama é comprimida de forma a fornecer melhores imagens, e, portanto, melhor capacidade de diagnóstico. O desconforto provocado é discreto e suportável.

Estudos sobre a efetividade da mamografia sempre utilizam o exame clínico como exame adicional, o que torna difícil distinguir a sensibilidade do método como estratégia isolada de rastreamento.

A sensibilidade varia de 46% a 88% e depende de fatores tais como: tamanho e localização da lesão, densidade do tecido mamário (mulheres mais jovens apresentam mamas mais densas), qualidade dos recursos técnicos e habilidade de interpretação do radiologista. A especificidade varia entre 82%, e 99% e é igualmente dependente da qualidade do exame.

Os resultados de ensaios clínicos randomizados que comparam a mortalidade em mulheres convidadas para rastreamento mamográfico com mulheres não submetidas a nenhuma intervenção são favoráveis ao uso da mamografia como método de detecção precoce capaz de reduzir a mortalidade por câncer de mama. As conclusões de estudos de meta-análise demonstram que os benefícios do uso da mamografia se referem, principalmente, a cerca de 30% de diminuição da mortalidade em mulheres acima dos 50 anos, depois de sete a nove anos de implementação de ações organizadas de rastreamento.

O Auto-Exame das Mamas

O INCA não estimula o auto-exame das mamas como estratégia isolada de detecção precoce do câncer de mama. A recomendação é que o exame das mamas pela própria mulher faça parte das ações de educação para a saúde que contemplem o conhecimento do próprio corpo.

As evidências científicas sugerem que o auto-exame das mamas não é eficiente para o rastreamento e não contribui para a redução da mortalidade por câncer de mama. Além disso, o auto-exame das mamas traz consigo conseqüências negativas, como aumento do número de biópsias de lesões benignas, falsa sensação de segurança nos exames falsamente negativos e impacto psicológico negativo nos exames falsamente positivos.

Portanto, o exame das mamas realizado pela própria mulher não substitui o exame físico realizado por profissional de saúde (médico ou enfermeiro) qualificado para essa atividade.

MAIS DE 65% DE PACIENTES DIAGNOSTICADOS NO ESTÁGIO INICIAL

De acordo com especialistas, aproximadamente 65% dos pacientes com câncer, diagnosticados no estágio inicial da doença, são curados. Desse total, o percentual de adultos curados chega a 50%. Nas crianças, esse índice é ainda mais representativo: 80% alcançam a cura.

A diferença existente entre o percentual de adultos e crianças curados é explicado, segundo os oncologistas, pelo fato das crianças possuírem um metabolismo mais ágil, e uma grande capacidade de recuperação. Nas crianças, só existem dois tipos de câncer, a leucemia e o linfoma. Nos adultos, por exemplo, há uma alteração nos tipos de leucemia, o que não acontece nas crianças.

O estágio inicial do câncer pode ser definido a partir do tamanho do tumor. Quando o tumor é pequeno, não há comprometimento e não existe doença a distância, ou seja, sem metástase. Claro que existem casos onde os tumores são imperceptíveis, e são descobertos em estado avançado, mas quanto menor o tumor, maiores são as chances de cura.

Nos casos onde o câncer é descoberto em sua fase inicial, o problema pode ser resolvido somente com cirurgia, sem a necessidade de tratamentos específicos, como a quimioterapia e radioterapia. O paciente é considerado curado após cinco anos sem vestígios da doença. O paciente recebe um acompanhamento que pode ser bimestral, trimestral, anual, até que em cinco anos sem sinais da doença ele possa ser considerado curado.

Ainda de acordo com os oncologistas, muitas pessoas só procuram tratamento quando a doença já está visível, e esse é um grande problema. É importante lembrar que a prevenção é o melhor diagnóstico. Se alguém fuma, por exemplo, é preciso procurar um pneumatologista pelo menos uma vez por ano.

A falta de prevenção continua sendo uma das principais causas da doença. Para os especialistas dessa área, a solução, nesses casos, seria o aumento na quantidade de campanhas educativas relacionadas ao tema.

As mulheres hoje iniciam a vida sexual aos 13, 14 anos, e é necessário que elas procurem o ginecologista, que façam a prevenção do câncer do colo uterino. E é comum atualmente mulheres e homens com idades mais avançadas terem uma vida sexual ativa, essas pessoas também precisam se prevenir do câncer. Se a pessoa procura um médico e não fica satisfeita com o diagnóstico, ela precisa tirar suas dúvidas, indo a outro médico, mas é importante que exista a prevenção.

FONTE: INCA

4 de julho de 2011

SOCIAL - CAROLINE SILVA

 É notório o esforço que o ilustre promotor de Justiça de nossa comarca, Dr. Antonio Moreira da Silva, vem empreendendo em favor da comunidade. Que seja registrado na história: Dr. Antonio tem sido uma autoridade amiga da sociedade e ferrenhamente combativa contra todo e qualquer ato repreensível. Sua presença entre nós é motivo de muito orgulho, satisfação e segurança.
 Empresário e apresentador, Sílvio Delmondes conseguiu com sucesso, inaugurar os estúdios de sua tevê Vale, afiliada da Rede Record. A realização de Sílvio é também uma vitória para Tangará da Serra. De Parabéns!
O casal querido, in sociedade, empresário Edson Walter Cavalari e sua linda esposa Amália Hernandes Cavalari celebraram níver na semana passada. Ela, dia 20. Ele, dia 27. Aos dois amigos, nossos sinceros votos de muita prosperidade. Tintin!
 A empresária Leani Ruppel que acaba de retornar de viagem a Finlândia está trabalhando a nova edição de sua revista Styllo Vip que deverá circular com novo nome.
O casal empresário Antonio Carlos Amaral - advogada Elane Brinker que recente jantar com o casal amigo Gerard Moss e Maggi Mossi.

NOTAS DA REDAÇÃO

TAC – A prefeitura de Tangará da Serra descumpriu parcialmente o Termo de Ajustamento de Conduta firmado no dia 16 de junho com o Distrito São Joaquim. O município ainda não limpou e nem terraplanou as ruas localidade. Em face desse descumprimento, não resta alternativa aos moradores senão novamente denunciar a prefeitura no Ministério Público Estadual. O ofício, aos cuidados do promotor Antonio Moreira da Silva, será protocolado nesta segunda-feira, dia 04.

RECEBIMENTO - A Caixa Econômica Federal informa que o limite para recebimento de contas nas casas lotéricas, com cobrança em outros bancos, foi aumentado para R$ 700. O banco encaminhou na semana passada o comunicado para as 11,7 mil casas lotéricas espalhadas pelo país. A medida entrará em vigor na próxima terça-feira.

PLEITO - O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o calendário eleitoral referente às eleições municipais de 2012. De acordo com a Corte, o pleito para a escolha de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em mais de 5,5 mil municípios brasileiros será realizado no dia 7 de outubro, em 1º turno, e no dia 28 de outubro, nos municípios onde houver a necessidade de 2º turno.


O vereador (suplente) Amauri Paulo Cervo é novo relator da Comissão Processante em curso na Câmara Municipal de Tangará da Serra. Inteligente e sereno como é, certamente cumprirá com muita responsabilidade mais essa missão posta em suas mãos.

AGILIDADE - Para quem reclama que a Justiça é lenta, a Turma Recursal da Justiça Federal do RN mostrou que, com maior empenho, a realidade pode ser diferente. Os juízes federais Janilson Bezerra, Marco Bruno Miranda e Giselle Leite julgaram mais de dois mil recursos em uma única sessão. A turma funciona como segunda instância dos processos que tramitam no Juizado Especial Federal.

MECÂNICAS – O simples fato de um cidadão conduzir seu veículo até uma oficina mecânica para checagem de um suposto defeito, pode se transformar num grande pesadelo. Isso ocorre geralmente por causa da grande quantidade de profissionais que atua nesse setor, trabalhando sob a desonestidade. É bom ter muito cuidado, na hora de escolher uma oficina mecânica para proceder à revisão do carro ou moto que se tem.

TENSO – O clima político continua extremamente alterado em Tangará da Serra por conta do andamento de uma Comissão Processante na Câmara de Vereadores. Dois são os comentários mais comuns pelas ruas da cidade. O primeiro aponta que os acusados não terão chance alguma de escapar do processo de cassação. O segundo diz que o mais provável é que os denunciados optem pela renúncia, para preservação da possibilidade de se candidatarem nas eleições de 2012. Ou seja: os denunciados estão numa verdadeira encruzilhada.

PREFEITO – Lideranças partidárias já trabalham internamente nomes para apresentação ao Legislativo, na hipótese de necessidade de escolha de novo prefeito para Tangará da Serra. A eleição do prefeito ocorreria em processo eleitoral indireto. Sendo escolhido mediante votação dos 10 parlamentares.

Aprovada PEC do fim de coligações na eleição proporcional

Ex-candidato a deputado federal, Dorjival Silva ficou satisfeito com a aprovação da proposta

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou a proposta de emenda à Constituição (PEC) que põe fim às coligações partidárias nas eleições proporcionais.

O relator da proposta, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), apresentou parecer pela aprovação da matéria, proposta pela Comissão da Reforma Política da Casa. O texto diz que serão admitidas coligações só nas eleições majoritárias (disputas para Presidente da República, governador, prefeito e senador). A PEC segue agora para o plenário.

Senadores favoráveis à PEC argumentam que as coligações nas eleições para vereador e deputado federal, distrital e estadual são “passageiras” e visam aumentar o tempo de propaganda eleitoral no rádio e na TV de partidos considerados grandes e viabilizar maior número de cadeiras por partidos menores. Os contrários alegaram que a PEC conflita com o pluralismo político e que as coligações são um mecanismo para que as siglas consigam superar cláusulas de barreira.

TANGARÁ DA SERRA – Em Tangará da Serra, o ex-candidato a deputado federal e vice-presidente estadual do Partido Republicano Progressista, Dorjival Silva, disse ter ficado satisfeito com a aprovação da PEC pela Comissão e espera que o Senado Federal faça o mesmo.

Segundo ele, seu partido já vem trabalhando com essa possibilidade desde o início do ano. Tanto é que em todas as reuniões realizadas em cidades mato-grossenses, solicitou que as lideranças lutem para encontrar nomes fortes para disputar em chapa pura o pleito eleitoral de 2012.

Neste município, de acordo com o líder do PRP, cerca de 20 pessoas estariam preparadas para concorrer vagas no legislativo municipal. “Mas ainda há espaço para novas lideranças que haverão de surgir até o mês de outubro”, lembrou Dorjival Silva.

Senado tenta barrar PSD e ameaça com lei de infidelidade partidária

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou em caráter terminativo, um projeto de lei que trata da questão da fidelidade partidária, incluindo na legislação em vigor no país uma nova regra que estende a perda de mandato para aqueles que se filiarem a uma sigla nova.

A proposta é do senador Demóstenes Torres (DEM-GO). O caráter terminativo elimina a deliberação em plenário e passa a matéria direto à Câmara Federal.

O DEM é um dos partidos mais atingidos com a criação do PSD, liderada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que leva consigo diversas lideranças da sigla, do PSDB e outros. Para se tornar realidade, a nova legenda precisa apresentar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cerca de 500 mil assinaturas de eleitores de, pelo menos, nove Estados. Na semana passada, Kassab anunciou a conquista de mais de 1,2 milhão de assinaturas e marcou a data para o registro do PSD: 30 de julho.

Agora a luta é contra o tempo. Para disputar as eleições do ano que vem, o partido precisa ser oficializado dentro de 100 dias, mais ou menos o tempo que a legislação que tenta frear a sigla deve levar para tramitar no Congresso.

O presidente da comissão provisória do PSD em Mato Grosso e presidente da Assembleia, José Geraldo Riva (PP), tranquilizou as lideranças que pretendem migrar para a nova sigla. Durante a sessão da quinta-feira, dia (30.06), ele informou que o Senado derrubou o caráter terminativo da matéria, que deverá passar pelo plenário antes de ser encaminhada à Câmara Federal.

Antes, ele declarou ao programa Chamada Geral, da Rádio Mega 95, declarou que não se sente nem um pouco preocupado com o que chamou de “Lei anti-PSD do Demóstenes”. “Se fosse unanimidade na Câmara, o que não é, o projeto levaria pelo menos 90 dias para ser aprovado”, disse.

“Não tinha dúvida nenhuma de que isso é pura balela. Imagine os senhores uma ideia que nasce e termina no mesmo dia num Congresso que não anda para nada”, criticou o deputado após informar os colegas. “Nosso Congresso costuma aprovar rapidamente as reformas, em 20 ou 25 anos”, ironizou.

Em Mato Grosso, os mais atingidos deverão ser os progressistas. O partido deve perder, no Legislativo estadual, cinco dos seis representantes. A nova sigla ainda pode se tornar, junto com o PR, a maior bancada da Casa, caso o democrata Dilceu Dal Bosco também confirme sua filiação.

Entre os representantes mato-grossenses na Câmara Federal, os suplentes Roberto Dorner e Neri Geller, ambos do PP, já anunciaram a migração para o PSD. Eles fazem parte de um grupo de pelo menos 50 deputado federais que pretendem trocar de partido. Além deles, o deputado federal licenciado e secretário de Estado de Ciência e Tecnologia Eliene Lima e o vice-governador Chico Daltro, também progressistas, integram a debandada.

O movimento liderado por Riva, que preside a comissão provisória do PSD no Estado, promete agregar pelo menos 30 prefeitos que vão disputar a reeleição e mais de 200 vereadores. A debandada poderia ser ainda maior se o presidente da Assembleia não freasse o ingresso de novas lideranças.

Agora, a situação pode mudar, já que a aprovação da proposta do Senador, no mínimo, gera um clima de instabilidade. Prefeitos e vereadores que disputarão a reeleição no ano que vem, e deputados que ainda têm três anos de mandato pela frente, devem pensar duas vezes antes de pedir a desfiliação. Com RDNews

Empresário tangaraense assume cargo no diretório estadual do PP

O empresário tangaraense do ramo da construção civil e ex-candidato a deputado estadual, Airto Franchini, é desde a última quinta-feira 30, membro do diretório estadual e vice-presidente do diretório municipal do Partido Progressista (PP). Ele se torna liderança de sua sigla graças ao seu bom desempenho como candidato nas eleições passadas e pelo bom entrosamento com a cúpula estadual que tem como principal expoente o deputado federal licenciado e atual secretário estadual de Saúde, Pedro Henry.


Em entrevista ao O Tangaraense, Franchini expressou muita alegria pelo fato de ser o primeiro integrante do PP no município de Tangará da Serra a compor com o diretório estadual. Igualmente também por ser agora o vice-presidente da legenda no município.

“É claro que a nossa responsabilidade aumenta muita com toda essa confiança depositada em minha pessoa, mas irei fazer tudo que estiver ao alcance pelo fortalecimento do PP em Tangará da Serra e nessa região do estado de Mato Grosso” comentou Franchini.

Uma de suas principais ações nos próximos dias, em conjunto com o presidente municipal da legenda, Nadir Bariviera, será reunir todos os filiados para discutir o fortalecimento da legenda. “Nós queremos um PP fortalecido e mais atuante a partir de agora. Isso vai demandar trabalho, encontros, conversações, e, sobretudo, humildade junto às outras siglas”, frisou.

Ainda na quinta-feira, o vice-presidente municipal manteve contato com liderança de outro partido enraizado em Tangará da Serra trabalhando a abertura de diálogo visando formar uma composição que garanta a participação de seu partido na disputa eleitoral de 2012.

CANDIDATURA – Airton Franchini não declarou se vai disputar as eleições municipais como majoritário nas eleições vindouras. Mas o natural crescimento de seu nome dentro do partido é meio caminho andado para vir a disponibilizar seu nome para participar do pleito eleitoral, caso seja indicado.

GERAIS

Os Bastidores das Fraudes

Basta um indício e o MP é obrigado a investigar e esclarecer as dúvidas suscitadas pelo referido munícipe

No livro o Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil escrito por um grupo de cidadão de Ribeiro (SP), há um capítulo destinado a comentar os bastidores das fraudes nos executivos municipais. A obra impressiona à medida que mostra de forma sistemática como são praticados frequentemente atos de corrupção nesses poderes. Leia a partir de agora, transcrição integral sobre o tema.

“A engenharia do desvio de recursos públicos cria instrumentos para dar à corrupção aspectos de legitimidade. Criaram-se métodos mais ou menos padronizados e utilizados com certa regularidade nas prefeituras dirigidas por administradores corruptos. No cotidiano da administração, mesmo um olhar externo mais atento pode ter dificuldade em perceber irregularidades contidas em coisas aparentemente banais, como o preenchimento de uma nota fiscal ou um pagamento em cheque da prefeitura. No entanto, a investigação mais aprofundada pode revelar como funciona, nos bastidores, o esquema desonesto.

Empresas constituídas às vésperas do início de um novo mandato

Nos períodos próximos à mudança de governo nas prefeituras, as quadrilhas começam a agir no sentido de implantar os sistemas de corrupção nas administrações futuras. Assim que o prefeito eleito é conhecido, os fraudadores dão início à montagem dos esquemas que serão introduzidos após a posse. Uma das primeiras e mais comuns providências é a criação de empresas, ou de empresas-fantasmas que passarão a fornecer para a prefeitura. Para descobrir se alguma firma foi constituída com esse intuito, deve-se fazer uma pesquisa na Junta Comercial, levantando os protocolos e as datas de criação dessas empresas. É preciso estar atento para a possibilidade de os sócios serem meros “laranjas”, que emprestaram seus nomes para servirem de testas-de-ferro no esquema de corrupção. Os grupos de fraudadores costumam também manter um estoque de empresas “fantasmas” prontas para serem utilizadas. Nesses casos, o Tribunal de Contas poderia exercer um importante papel. Ao detectar que uma empresa é “fantasma”, esse órgão poderia checar se em outras prefeituras do mesmo Estado houve o recebimento de notas fiscais iguais. Com isso, se estaria criando um mecanismo mais poderoso de combate à corrupção.

Licitações dirigidas

Um dos mecanismos mais comuns para se devolverem “favores” acertados durante a campanha eleitoral, bem como de canalizar recursos públicos para os bolsos dos cúmplices, é o direcionamento de licitações públicas. Devido ao valor relativamente baixo das licitações que se realizam nas prefeituras de porte pequeno, a modalidade mais comum de licitação é a carta-convite. O administrador mal-intencionado dirige essas licitações a fornecedores “amigos”, por meio da especificação de condições impeditivas da livre concorrência, incluindo exigências que os demais fornecedores em potencial não têm condições de atender. Um indício da possibilidade de problemas em licitações é a constância de compras junto aos mesmos fornecedores, sem que haja certo rodízio. Caso haja esse indício, vale uma investigação mais atenta. Sendo comprovado que está havendo direcionamento de compras a fornecedores privilegiados, o fato configura formação de quadrilha. Outro mecanismo, às vezes empregado, é realizar compras junto a empresas de outras localidades, tornando mais difícil aos integrantes da comunidade avaliar a sua reputação e idoneidade.

Fraudes em licitações

Um dos sistemas utilizados para justificar a aquisição fraudulenta de materiais e serviços é a montagem de concorrências públicas fictícias. Mesmo que haja vício na escolha, ou seja, mesmo que o prefeito corrupto já saiba antes do processo qual firma vencerá a concorrência, é preciso dar ares legais à disputa. A simulação começa pela nomeação de uma comissão de licitação formada por funcionários envolvidos no esquema. Depois, a comissão monta o processo de licitação, no qual condições restritivas são definidas. Não raro, participam do certame empresas acertadas com o esquema, que apresentam propostas de antemão perdedoras, apenas para dar aparência de legitimidade ao processo. Na investigação sobre possíveis embustes em licitações, uma importante pista pode estar nos termos empregados e mesmo nos caracteres tráficos das propostas entregues pelas empresas. Muitas prefeituras ainda se utilizam de formulários que precisam ser preenchidos a máquina. Um exame minucioso permite constatar se uma mesma máquina de datilografia foi usada no preenchimento de propostas apresentadas por diferentes participantes do processo. O exame estilístico dos textos, em busca de termos, frases e parágrafos que se repetem em diferentes propostas, também fornece indícios. Se na lista de participantes de licitações aparecem os nomes de firmas idôneas ou conhecidas, é essencial que, por meio de um contato direto, se confirme a sua participação no processo. Isso porque alguns empresários se surpreenderam ao serem informados de que haviam tomado parte em concorrências sobre as quais não tinham conhecimento. Suas empresas foram incluídas pelos fraudadores, que, para isso, empregaram documentos falsificados. Essa operação de inserir empresas com boa reputação tem o objetivo de “branquear” o processo licitatório.

Fornecedores “profissionais” de notas fiscais “frias”

Uma pequena história ocorrida no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e testemunhada por um dos autores desta cartilha, ilustra bem o que vem a ser a indústria de notas fiscais “frias”. Perguntado sobre suas atividades, um conhecido falsário do interior do Estado de São Paulo, sem o menor constrangimento, respondeu: “Eu agora estou no ramo de fornecimento de notas fiscais ‘frias’. De agulha a avião, forneço nota de qualquer coisa, a um custo muito competitivo de 4% sobre o valor da nota”. Frequentemente, como no caso de Ribeirão Bonito, notas de empresas diferentes, mas evidentemente impressas com o mesmo layout e características e defeitos gráficos, aparecem na contabilidade de diversas prefeituras de uma região, indicando a existência de quadrilhas especializadas nessa modalidade de fraude.

Indícios de fraude no uso de notas fiscais de fornecimentos

O levantamento da documentação relativa às despesas realizadas pela prefeitura pode revelar muitos indícios de desvio de dinheiro público. De posse de notas fiscais relativas aos pagamentos efetuados, é importante a verificação de alguns detalhes, como os seguintes: notas fiscais com valores redondos ou próximos do valor de R$ 8 mil. A prefeitura pode adquirir bens e serviços por meio do procedimento de carta-convite, quando se trata de gastos de até R$ 80 mil reais ao ano. A partir desse valor, é obrigatória a abertura de licitação em uma modalidade mais complexa e exigente, a tomada de preços. Porém, serviços e compras (desde que não sejam para obras e serviços de engenharia) com valor de até 10% do limite de R$ 80 mil, isto é, R$ 8 mil, estão desobrigados de licitação (desde que essa quantia não se refira a parcelas de um mesmo serviço ou compra de maior vulto) e podem ser realizados de uma só vez. Há indícios de atos ilegais quando se verifica que há muitas notas fiscais próximas do limite de R$ 8 mil. Isso pode significar que, para maximizar a subtração de recursos, os autores procurem emitir notas com valores próximos do limite. Notas do mesmo valor ou de valores próximos, e que se repetem todos os meses, podem representar um ardil para partilhar os frutos da fraude: a quantia de uma nota vai para o fornecedor, e o valor de outra é destinado ao administrador corrupto. Também acontece que compras de grandes volumes do mesmo produto sejam subdivididas em notas fiscais inferiores a R$ 8 mil para escapar às exigências de um processo de licitação mais complexo – o que é proibido pela Lei de Licitações e Contratos. Notas fiscais de fornecedores distantes e desconhecidos para materiais e serviços que poderiam ser adquiridos na localidade, em uma localidade pequena, a aquisição, em localidades fora do município, de bens de uso cotidiano (como gasolina, óleo diesel, material elétrico, alimentos para merenda escolar) para os quais haja fornecedores locais, é uma indicação de irregularidades. Notas fiscais sequenciais, indicando que a empresa só fornece para a prefeitura quando uma empresa tem a prefeitura como seu único cliente, existe possibilidade de que tenha sido montada ou preparada para esse fim. Isso, por sua vez, deve levantar suspeitas. Mas não é muito fácil descobrir esse tipo de falcatrua, pois às vezes os falsários simulam vendas e forjam notas fiscais para outras empresas e/ou órgãos só para disfarçar a sequencialidade das notas.

Contando com a atuação do promotor público da comarca, é preciso obter o talão de notas da empresa e verificar se os outros clientes constantes no talonário realmente existem e se de fato fizeram as aquisições registradas. Notas fiscais de prestação de serviço preenchidas com informações vagas. Essa é uma maneira encontrada pelos fraudadores para confundir a fiscalização e evitar que se comprove se determinados serviços foram executados ou não. Geralmente, utilizam-se expressões genéricas e vagas, como: “serviços de eletricidade prestados a ...”, ou “manutenção feita no ...”, “serviços na praça principal” etc. Esse tipo de prática não é aceitável, pois qualquer tipo de serviço deve ser discriminado na nota, incluindo-se o que foi feito, o tempo despendido e o material aplicado. Além disso, o funcionário da prefeitura responsável pela fiscalização tem de atestar que o serviço foi realmente realizado. É importante lembrar que quem atesta é co-responsável pela legalidade do pagamento.

Assim, terminamos mais um tópico de nossa série de artigos sobre corrupção e qualquer semelhança com a atual administração terá sido mera coincidência. De qualquer forma, todos os cidadãos devem ficar atentos aos indícios de corrupção e ao contrário de que alguns insistem em falar na Rádio da cidade, o cidadão não precisa ter uma prova cabal para denunciar. Basta um indício e o MP é obrigado a investigar e esclarecer as dúvidas suscitadas pelo referido munícipe. Em se tratando de coisa pública seria impossível para o cidadão comum apresentar uma prova cabal, ele apresenta indícios que necessariamente devem ser investigados a fundo pela Câmara, MP e demais órgãos incumbidos de tais tarefas.

Fonte: (*) Cartilha da AMARRIBO (Amigos Associados de Ribeirão Bonito)

ESPORTE

Tangará da Serra sedia certame nacional de ciclismo olímpico neste domingo

Da Redação

De julho a setembro deste ano a temporada de ciclismo em 2011 terá o seu ponto mais alto, conforme o dirigente da Federação Mato-grossense de Ciclismo (FMTC), Manoel Lima. A cidade de Tangará da Serra terá uma competição válida pelo certame nacional, neste próximo domingo (03.07), onde cerca de 80 atletas participam do evento de ciclismo olímpico. Os atletas do Estado já finalizam os preparativos para competirem em casa e realizarem uma excelente participação. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), é parceiro de todos os eventos da modalidade de ciclismo.

A direção da FMTC ressalta que o objetivo é que os atletas do Mato Grosso alcancem boa colocação no ranking nacional. “Nosso objetivo é consolidarmos nossas posição entre os 10 melhores do país e entrarmos entre os cinco melhores daqui para o fim do ano”, pontua Lima.

A prova será em circuito e contará com a participação da equipe Memorial de Santos, de São Paulo. A largada acontece às 9 horas no centro da cidade. Ao todo, serão 14 categorias na disputa.

Os atletas Gabriel do Carmo, Lucas Rebeque, Sandro Espessoto, Marcelo Menezes, José Nathan, Jean Arara, Jeferson Taques, Maikon Martins, Ana Clara do Prado, Patricia Steicy, Sinicleito Canela, Railson de Arruda já confirmaram presença no campeonato de ciclismo em Tangará. Além deles, participam os representantes dos Estados do Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo e Paraná.

De acordo o dirigente da Federação Mato-grossense de Ciclismo os melhores atletas de Mato Grosso farão parte também de outras competições nas cidades de Cuiabá, Cáceres, Acorizal, Primavera do Leste, Rosário Oeste, Sinop, Sorriso e Rondonópolis.

Empresário tangaraense firmará parceria com estado para promover curso de capacitação para catadores de materiais recicláveis


FABIOLA TORMES / Redação DS
Com o objetivo de profissionalizar os catadores de materiais recicláveis, para que eles tenham um melhor rendimento em suas funções, assim como fomentar as cooperativas de catadores, que o empresário tangaraense Antônio Carlos Cabral do Amaral apresentou à secretária de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social, Roseli Barbosa, o projeto para promover curso de capacitação para catadores de materiais recicláveis. A entrega/apresentação do projeto foi realizada na oportunidade do Fórum de Trabalho de Gestão e Serviços do Sistema Único de Assistência Social, o SUAS, realizado no último dia 17 em Tangará da Serra.

“Na ocasião da visita da primeira-dama Roseli Barbosa a Tangará da Serra, e na presença do deputado Wagner Ramos e do prefeito José Jaconias, apresentei o projeto ´Cooperar Reciclando, Reciclar Cooperando´, para que o mesmo possa ser implantado nos 141 municípios do estado de Mato Grosso”, disse Cabral, destacando que da conversa já ficou agendado para os próximos dias uma nova reunião com a secretária para análise aprofundada do mesmo.

Cabral, que é representante da associação não-governamental Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), informou que o kit didático do projeto foi criado para auxiliar na formação de associações ou cooperativas, sendo composto por um curso de capacitação para catadores de materiais recicláveis de 16 horas, um manual do instrutor com os primeiros passos para formar uma cooperativa de catadores, cartilha educativa, guia da cooperativa de catadores e DVD explicativo e ainda certificados de participação para serem entregues ao final do curso.

Esta iniciativa envolve palestras com diferentes temas como: Relações Humanas; Saúde Pública e Segurança do Catador; Reciclagem; Trabalhando no trânsito; Limpeza Pública; Cooperativismo; A Cooperativa funcionando. No kit há ainda subtemas, todos ilustrativos, relacionados ao ciclo do lixo; eu sou um trabalhador; o tamanho do desperdício; conhecer os sinais de trânsito; sinalizar as carroças; quanto mais cooperados, mais forte é a cooperativa; riscos (mecânicos, químicos, ergonômicos, físicos e biológicos); pagar um taxa para as despesas gerais; coleta e reciclagem (desde o dono do material, passando pelo catador, sucateiro, depósito e aparista, até chegar à fábrica); o que é uma sociedade cooperativa e a diferença da sociedade comercial; e princípios do cooperativismo.

O projeto “Cooperar Reciclando, Reciclar Cooperando” foi lançado em 1994 e desde esta data contribui para formação de pessoas mais conscientes em várias cidades do país e até mesmo em outros países.

COTIDIANO

INTERNET

Pesquisa aponta tendências de usuários de Lan Houses

Dados de uma pesquisa inédita desenvolvida pela consultoria Plano CDE, especializada no universo das classes C, D e E, em parceria com a CDI Lan (empresa social ligada à ONG Comitê para Democratização da Informática) revelam tendências de consumo e o perfil de 32 milhões de brasileiros que acessam a internet de lan houses. O número representa 45% dos usuários que, hoje, acessam a rede de uma das 107 mil lan houses espalhadas pelo Brasil, e que, segundo o estudo, priorizam o investimento em serviços com foco em cursos, trabalho e busca de empregos, seguido de itens para consumo pessoal.

“Esse cenário é uma característica da mobilidade social vivida pelas classes populares, que têm entre seus jovens um público cada vez mais escolarizado do que os pais e, por isso mesmo, busca mais informação e tecnologia fora de casa, já que não tem computador ou acesso à internet”, observa Luciana Aguiar, antropóloga e sócia diretora da Plano CDE, que para desenvolver o levantamento ouviu 891 usuários de todo o país.

O estudo aponta que os usuários de lan houses são, na maioria, jovens entre 14 a 24 anos, sendo que 59% possuem renda pessoal mensal, com 80% respondendo por uma renda pessoal de até R$ 1,2 mil por mês e 14% possuindo renda entre R$ 1.201,00 a R$ 2 mil. Dentro desse universo, 77% contribuem no orçamento familiar, parcialmente (56%) ou com toda renda pessoal (21%).

A pesquisa mostra que, mesmo com a pouca idade, e até pela tendência a outras atividades de lazer comuns entre usuários dessa faixa etária, 40% investiriam em educação se tivessem um acréscimo de R$ 500,00 na renda. Em seguida, aparecem meio de transporte (20%), tecnologia (13%) e consumo com vestuário, calçados e higiene pessoal (7%).

“Tratam-se de usuários conscientes, que utilizam os recursos do acesso à rede principalmente para ascender intelectualmente e profissionalmente”, avalia Bernardo Faria, diretor da CDI Lan, ao destacar o potencial das lan houses para serviços como cursos à distância, assim como produtos de inclusão financeira.

De acordo com o levantamento, o nível de educação dos entrevistados é relativamente alto, considerando sua concentração nas classes C, D e E, - 43% têm ensino médio completo ou superior incompleto; 35% possuem ensino médio incompleto; 6% com superior completo. Em relação à ocupação, 46% dos usuários possuem um vínculo mais estável de trabalho (carteira assinada, funcionário público ou militar) e 30% são autônomos ou empresários.

O mapeamento também revela que 43% dos clientes de lan houses estão concentrados na região Nordeste e 38% na Sudeste; o Centro-Oeste responde por 7% e as regiões Norte e Sul por 6%, cada uma.A pesquisa ainda mostra que o acesso à internet por esse público está bem inserido ao networking: 67% dos usuários utilizam a rede para a leitura de e-mails (67%) e 57% fazem uso da internet para a comunicação com amigos e parentes (65%).

No quesito entretenimento, o acesso a vídeos, fotos ou ouvir músicas é apontado como preferência por 55% dos internautas, seguido de acompanhar notícias esportivas (51%), pesquisa (46%), jogar (45%) e ler notícias, novidades, fofocas e piadas (29%). Dicas sobre saúde/alimentação e beleza/moda respondem, respectivamente, por 13% e 11% do interesse dos usuários.

Portais de notícias e redes sociais

“Considerados canais que atuam como uma janela para o mundo para o público da base da pirâmide, os portais de notícias e as redes sociais contribuem tanto para a atualização sobre o mercado de trabalho como para o desenvolvimento do capital social”, analisa Luciana Aguiar.

A pesquisa aponta que as atividades mais relevantes para os usuários de lan houses nos portais são acessar e-mail (29%); ler notícias do mundo (23); ler notícias de entretenimento (18%) e ler notícias de esportes (14). Nas redes sociais, o acesso prioriza o contato com amigos e parentes (64%); a postagem de fotos (13%); e os jogos sociais (8%). Com assessoria


 
Blogger Templates