Subscribe:

Ads 468x60px

19 de julho de 2011

Antonio Carlos Cabral profere palestra sobre reciclagem para alemães


“Eles ficaram impressionados e também felizes com o que lhes foi apresentado”

O empresário tangaraense Antonio Carlos Cabral Amaral proferiu palestra sobre reciclagem, na primeira semana de julho, para um grupo de turistas alemães, liderado por Harry e Wolfgang, provenientes da cidade de Syke-Alemanha que se encontrava em visita a cidade Tangará da Serra. De acordo com o empresário, os estrangeiros estiveram no município por meio de um intercâmbio internacional entre as Igrejas Luteranas do Brasil e daquele País.

Entre os vários lugares e empresas que os alemães tiveram a oportunidade de conhecer, um deles foi a sede da Allata Aleris, em Tangará da Serra. De acordo com o diretor Cabral, eles fizeram questão de visitar essa empresa para conhecer o desenvolvimento do sistema de coleta e seleção de materiais para reciclagem, realizado por ela.

No local, o empresário proferiu palestra sobre a reciclagem, abordando profundamente a questão, demonstrando que a coleta seletiva de lixo contribui de forma muito positiva para preservar a natureza, gerar emprego e melhorar a qualidade de vida no planeta. “Eles ficaram impressionados e também felizes com o que lhes foi apresentado. Não imaginavam encontrar, na cidade de Tangará da Serra, projetos tão importantes para a preservação do meio ambiente, que geram emprego e renda para tantas pessoas”.

Na ocasião, Cabral falou também sobre outros projetos desenvolvidos pelo Centro de Capacitação em Reciclagem em Tangará da Serra como a Expedição Reciclar, onde ele viaja por toda a região para repassar informações quanto a reciclagem e ainda auxilia na criação de Centros de Capacitação em algumas dessas cidades, assim como tem em Tangará da Serra, através da Allata, e ainda outros como o Vale Luz, Vale Água e Bio Bake,

ALLATA - Em Tangará da Serra, a Allata foi implantada pelo empresário Antônio Carlos Cabral Amaral. Foi criada com intuito de trabalhar com o lixo obtido a partir da coleta seletiva. A Allata já é destaque entre as ações desenvolvidas através do Centro de Capacitação em Reciclagem, atendendo a aproximadamente 18 municípios da região de Tangará da Serra. A empresa tem por objeto social a compra, venda e transporte de embalagens de bebidas e outras formas de alumínios, plásticos e vidro; comércio atacadista de UBC, sucata e outras formas de alumínio em metal fundido ou lingote; resíduos de papel e papelão recicláveis; de sucatas não metálicas; prestação de serviços de coleta seletiva de resíduos sólidos, incluindo a implantação do sistema e o treinamento, a coleta e o transporte dos materiais.

Através do Centro de Capacitação em Reciclagem, a Allata promove a Educação Ambiental, com palestras; geração de emprego e renda, por meio da capacitação de cooperativa de catadores; estimula a abertura de novos negócios; realiza treinamento de agentes públicos ligados à questão de resíduos sólidos, ampliando a consciência ambiental entre a população e combatendo o trabalho infantil nos lixões.

O Tangaraense com informações do Diário da Serra

Mais de 92% são reprovados no exame da OAB

Da Redação

Mato Grosso obteve um dos piores índices de aprovação no exame da Ordem, realizado no início deste ano. Dos 2.884 inscritos, apenas 7,35% conseguiram passar pela segunda fase e obter a liberação para advogar. É o pior índice dos últimos anos e também está abaixo do nacional, que foi de 9,74%.

Para a segunda fase foram aprovados 439 (15%) candidatos. Porém, somente 212 conseguiram passar pela segunda prova.

Para a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) o resultado é o retrato da péssima qualidade do ensino jurídico oferecido no país. O presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem e secretário-geral da OAB em Mato Grosso, Daniel Paulo Maia Teixeira, explica que a redução no número de aprovados ocorreu com a inscrição de bacharéis oriundos de faculdades particulares no exame. A maioria passou a oferecer o curso nos últimos anos. "Essas novas turmas estão formando, mas não conseguem passar no exame".

Segundo ele, mesmo que chegue a 20% de aprovação, o percentual vai estar longe do ideal. "É reflexo do mau aprendizado dos bacharéis mesmo depois de 5 anos de faculdade".

A OAB de Mato Grosso acredita que 50% dos cursos de direito oferecidos no Estado não conseguem atender os critérios de qualidade necessários para formar advogados.

O presidente da Ordem, Cláudio Stábile, afirma que a entidade sempre é consultada pelo Ministério da Educação (MEC) na abertura de um novo curso. Porém, mesmo sendo contrário, o parecer dado não é levado em consideração. "Nós damos o parecer contrário quando não há professor capacitado, com currículo, que o número de alunos em sala é muito alto, mas o MEC não leva isso em consideração".

Ele cita exemplo de cidades com 10 anos de existência onde há até 3 faculdades de Direito. "Um estudo realizado pela OAB apontou que no Brasil estão mais de 50% dos cursos de Direito oferecidos no mundo. São 1.240 faculdades, enquanto que no resto do mundo são 1.100".

No início de junho, a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC suspendeu 10.912 vagas para o curso de Direito devido ao baixo índice no Conceito Preliminar de Curso (CPC). Em Mato Grosso, houve a redução de 242 vagas, que não conseguiram bom desempenho no aprendizado dos estudantes, corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos. "A decisão sinaliza que o MEC está reconhecendo que tem algo errado, que faculdade não é comércio".

Na opinião de Stábile, as exigências do exame da Ordem não devem ser minimizadas para resolver o problema da má qualidade do ensino oferecido no país. "O advogado lida com questões fundamentais como os direitos da família, liberdade da pessoa, a área financeira, e precisa estar preparado. Qualquer carreira na área jurídica realiza provas para o ingresso, seja na Defensoria, Ministério Público ou magistratura. E boas faculdades têm aprovação boa, tanto públicas quanto privadas".

0 comentários:

Postar um comentário

 
Blogger Templates