Subscribe:

Ads 468x60px

17 de fevereiro de 2012

Pesquisa indica que 3,8 milhões de jovens estão fora da escola

Na faixa de 15 a 17 anos, apenas 83,3% estão inseridos no sistema de ensino, o que representa 1,7 milhão de jovens fora da escola

Estudo feito pelo movimento Todos pela Educação aponta que 3,8 milhões de crianças e jovens entre 4 e 17 anos estavam fora da escola em 2010. Na década (2000-2010), entretanto, houve um aumento de

9,2% na taxa de acesso à escola, segundo o estudo De Olho nas Metas 2011, divulgado semana passada.

A Região Norte registrou o maior aumento na frequência ao sistema de ensino, com crescimento de 14,2%, o que possibilitou o atendimento de 87,8% das crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos. A Região Sudeste teve o menor avanço na década, expansão de 8%. Ainda assim, é a parte do país com maior índice de jovens matriculados, 92,7%.

No Brasil, a taxa de inclusão escolar chega a 91,5%. Mesmo com o acréscimo nas taxas de frequência, o relatório aponta que o país não conseguiu superar a meta intermediária (de 93,4% de acesso) estabelecida para o ano de 2010.

Com o maior número de jovens em idade escolar (17,3 milhões), a Região Sudeste registra o maior número de crianças e adolescentes fora da escola (1,27 milhão). Desses, 607,2 mil estão no estado de São Paulo, unidade da federação com maior número de jovens sem estudar.Percentualmente, no entanto, apenas 7% dos paulistanos entre 4 e 17 anos não frequentam a escola.

Na Região Norte são 579,6 mil jovens que não estão estudando. O Acre é o estado com a pior taxa de inclusão, 85%, o que representa 35 mil crianças e adolescentes fora do sistema de ensino.

As taxas de acesso à pré-escola permanecem em patamares muito mais baixos que os estabelecidos pelas metas. Crianças de 4 e 5 anos têm a menor taxa de atendimento (80,1%). Na Região Norte, apenas 69% das crianças que deveriam estar na pré-escola estão estudando.

O ensino médio também apresenta uma taxa de frequência menor do que a média. Na faixa de 15 a 17 anos, apenas 83,3% estão inseridos no sistema de ensino, o que representa 1,7 milhão de jovens fora da escola. O menor percentual de acesso é registrado novamente no Norte (81,3%).

O estudo De Olho nas Metas é um relatório anual cujo intuito é acompanhar indicadores educacionais ligados às cinco metas estabelecidas pelo Todos Pela Educação para serem cumpridas até 2022. A primeira meta é chegar ao índice de 98% ou mais das crianças e jovens de 4 a 17 anos matriculados e frequentando a escola no prazo de dez anos.

80 mil ficaram fora da escola em Mato Grosso no ano de 2010

Mato Grosso deixou mais 80 mil crianças e adolescentes fora das salas de aula em 2010, de acordo com estudo De Olho nas Metas 2011, realizado pelo movimento Todos pela Educação (www.todospelaeducacao.org.br). São crianças e jovens de quatro a 17 anos que não tiveram acesso à educação pública.

Ficaram sem estudar 32,4 mil jovens entre 15 e 17 anos. Já entre as crianças de quatro a cinco anos, 30 mil ficaram sem ir a escola em Mato Grosso. De acordo com o levantamento feito pelo estudo, em 2011 o estado tinha 759,816 pessoas com idade entre 4 e 17 anos, dos quais apenas 679.258 foram a escola.

O trabalho realizado pelo movimento abrange todo o país. De acordo com dados do site do grupo, 3,8 milhões de crianças ficaram sem estudar em todo o país em 2010.

As análises foram feitas com base nos resultados preliminares da amostra do Censo Demográfico 2010, disponíveis no Sistema do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de Recuperação Automática (Sidra).

0 comentários:

Postar um comentário

 
Blogger Templates