Subscribe:

Ads 468x60px

30 de abril de 2014

Polícia Federal apreende R$ 156 mil, dólares e cinco servidores por fraudes

Polícia Federal apreende R$ 156 mil, dólares e cinco servidores por fraudes
Um total de R$ 156 mil e outros US$ 1 mil foram apreendidos durante a operação Dr. Lao, realizada na manhã de hoje (30) em conjunto entre a Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU),que levou a detenção de servidores públicos lotados no Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE). No total, cinco pessoas foram presas na ação nas cidades de Cáceres, Pontes e Lacerda e Rondonópolis. Um servidor, que teve mandado de prisão expedido em Cuiabá, ainda permanece foragido da Justiça. Na casa de um servidor público na cidade de Rondonópolis (a 218 km de Cuiabá), onde a PF cumpriu dois mandados de busca e apreensão, os policiais localizaram o dinheiro dentro de um cofre.


Para que a fraude fosse apurada, a Polícia Federal conduziu coercitivamente ainda 10 pessoas para que prestassem depoimento. O esquema apurado pela PF revela um rombo nos cofres públicos de R$ 1,3 mil, com emprego do cartão para pagamentos do governo federal destinado a Instituição no período de 2010 a 2013. No entanto, de acordo com informações do Ministério Público Federal (MPF) esse montante pode chegar até mesmo a R$2 milhões.

O grupo teria fraudado as prestações de contas desses recursos, por meio de saques irregulares e recibos inidôneos, tendo como favorecidas pessoas que não prestaram o serviço descrito ou já mortas. Notas fiscais frias e falsificação de assinaturas dos servidores responsáveis pela concessão e aprovação dessas prestações também foram medidas usadas pelos acusados, segundo a PF.

Os acusados responderão pelos crimes de peculato, cuja pena de reclusão varia entre 2 e 12 anos, e associação criminosa, com pena de reclusão entre 4 e 8 anos. Só Notícias

Acidente entre dois caminhões deixa uma pessoa morta próximo a Campo Novo do Parecis

Um acidente entre uma carreta bitrem e um caminhão tanque na tarde de hoje (30), na MT-235, a 35 km de Campo Novo do Parecis deixou uma pessoa morta.

O motorista da carreta que seguia sentido Campo Novo do Parecis tentou desviar da fumaça e bateu de frente com o caminhão tanque que seguia sentido São José do Rio Claro.

O motorista do caminhão tanque [ainda não identificado] ficou preso às ferragens e morreu no local do acidente. Já o motorista da carreta bitrem foi socorrido pelo Serviço Atendimento Móvel de Urgência e encaminhado ao Centro Hospitalar Parecis, com dores no peito e falta de ar, segundo informações do próprio hospital.


Testemunhas disseram ao Parecis.Net que no instante do acidente, dois homens ateavam fogo no capim seco às margens da rodovia. Após a colisão, os dois homens entraram em uma camionete e fugiram do local rumo a uma fazenda próxima do acidente. Redação com Parecis Net. 

"Não insistam mais comigo nessa questão de candidatura", diz Blairo a jornalistas

Senador Blairo Maggi diz a jornalistas que

 não disputará Palácio Paiaguás neste ano

O senador Blairo Maggi (PR) afirmou há pouco, em entrevista coletiva, que não será candidato ao Governo do Estado neste ano. "Não é desistência, nem recuo. Pois nunca disse que seria candidato. É uma retificação", afirmou.

Na sede do Grupo Amaggi, em Cuiabá, ele fez uma série de pontuações sobre a sua decisão, e reiterou que não cederá às pressões para mudar de idéia.

"Não tem novidade no que estou dizendo. Só quero dizer para a toda a imprensa, com um discurso único: não disputarei as eleições. Me sinto absolutamente à vontade, não me sinto obrigado a disputar. Também não estou segurando o processo eleitoral, como dizem alguns. Fico à vontade, porque desde 2010 tenho dito isso, desde aquela ocasião fiz um comunicado a toda as lideranças no Estado, e em nível Federal, de que não iria disputar eleições. Nunca mudei minha postura e meu discurso", afirmou

Aos jornalistas, Maggi disse que teve acesso aos números e análises de uma pesquisa de opinião. E que, mesmo com os dados favoráveis, que animaram seu grupo político, ele não disputará.

"O que temos visto é meu nome bastante forte, com margens muitos boas sobre o segundo colocado, mas nem isso me fez mudar o meu pensamento e a forma como estou conduzindo essa questão", disse.

Ele disse que participará da campanha do arco de alianças da situação. "Participarei sim, mas de forma normal. Quem tem que correr, bater perna, viajar, são os candidatos", disse.

Sem apoio a Taques

Ele disse que não irá apoiar a provável candidatura do senador Pedro Taques (PDT). 

"Falei isso pra ele ontem. Mas não veto que o PR o apoie. Mas o posicionamento do Taques em relação ao Governo Federal complicou. Isso não nos une, nos afasta. Tenho compromissos morais com a presidente Dilma Rousseff", afirmou.

Taques foi um dos maiores apoiadores para a instalação da CPI da Petrobrás, que atinge a gestão da presidenta.

Pragmático, Maggi disse que não tem preocupação de que o grupo político da qual faz parte perca as eleições e o poder para a oposição. Midia News

Joaquim Barbosa determina que Genoino volte para a prisão

ÉPOCA

O presidente do Supremo Tribunal Federal(STF), Joaquim Barbosa, determinou nesta quarta-feira (30) que o ex-deputado federal José Genoino volte para o Presídio da Papuda, no Distrito Federal. Genoino cumpreprisão domiciliar temporária desde novembro do ano passado, quando reclamou de problemas cardíacos e foi transferido para um hospital e depois para prisão domiciliar.
Barbosa tomou a decisão dois dias depois de ter recebido um laudo no qual médicos da Universidade de Brasília (UnB) afirmaram que o quadro de saúde do ex-deputado é estável e não é grave.

Ele foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão em regime semiaberto na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Nesse regime, o preso pode sair da cadeia durante o dia para trabalhar, mas precisa retornar para dormir na prisão. O trabalho tem de ser autorizado pelo Judiciário.

Genoino deverá se apresentar no presídio no prazo de 24 horas, de acordo com decisão de Barbosa, sob pena de expedição de mandado de prisão. Barbosa também destacou que o ex-deputado poderá ser acompanhado pelos médicos de sua escolha e terá garantia de atendimento médico, se precisar.

O advogado do ex-parlamentar, Luiz Fernando Pacheco, defende que ele cumpra prisão domiciliar definitiva. De acordo com o advogado, Genoino é portador de cardiopatia grave e não tem condições de cumprir a pena em um presídio, por ser “paciente idoso, vítima de dissecção da aorta”. Segundo Pacheco, o sistema penitenciário não tem condições de oferecer tratamento médico adequado ao ex-parlamentar.


No entanto, segundo os médicos, o quadro de saúde de Genoino não justifica tratamento diferenciado. “Não se expressa no momento a presença de qualquer circunstância justificadora de excepcionalidade e diferenciada do habitual para a situação médica em questão, visando ao acompanhamento e tratamento do paciente em apreço”, diz o laudo enviado na segunda-feira (28) ao STF.

Conheça quem é quem na facção criminosa desarticulada pela Polícia Civil de MT

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso divulgou a lista dos principais investigados na operação “Grená” e nome dos detentos transferidos, os quais são apontados como os principais líderes da organização criminosa denominada “Comando Vermelho de Mato Grosso (CV-MT)”, instalada em presídios de Mato Grosso e que comanda diversos crimes no Estado. Todos vão responder pelo artigo 2º da Lei nº 12.850/2013, que trata do crime organizado.

A operação “Grená” foi deflagrada nesta quarta-feira (30.04) pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e a Diretoria de Inteligência, com apoio das inteligências da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

A operação cumpriu 35 mandados de prisão até o final da manhã desta quarta-feira. Oito pessoas ainda são procuradas pela Polícia Civil e são consideradas foragidas.

Dois 31 internos de presídios de Mato Grosso, 28 reeducandos tiveram mandados de prisão preventiva cumpridos. NO entanto, 4 entraram recentemente no semiaberto e ainda não foram localizados. Eles são considerados foragidos. Do lado de fora das cadeias, 8 pessoas foram presas, de 12 mandados de prisão decretados. Quatro pessoas ainda são procuradas.

Os integrantes e colaboradores da facção presos do lado de fora da cadeia estão sendo interrogados pelas equipes que efetuaram o cumprimento do mandado de prisão. Eles responderão questionário previamente elaborado e após serão encaminhados para o Raio 3 da Penitenciária Central do Estado (PCE).

Principais líderes do CV-MT:
1. Sandro da Silva Rabelo, vulgo “Sandro Louco”, “Bile ou Bili” – criminoso natural de Cuiabá-MT, condenado por vários crimes, entre eles latrocínios, sequestro e roubos, que exerce grande poder sobre a criminalidade no Estado de Mato Grosso, sendo respeitado tanto dentro como fora do Sistema Prisional. É o principal líder do Comando Vermelho em Mato Grosso e um dos idealizadores do CV-MT. Ele é membro do “Conselho Final” e exige o cumprimento rigoroso do estatuto da facção. O criminoso tem pena a cumprir de 161 anos, 9 meses e 24 dias, em regime fechado por diversos crimes praticados. Já cumpriu 17 anos, 7 meses e 14 dias, desde a primeira vez que foi preso em 1993. Já passou por várias transferências de unidades prisionais de Mato Grosso, liderou motins e também fugiu de muitas cadeias. No ano de 2000 foi preso por roubo a banco em Várzea Grande e protagonizou sua primeira fuga da Penitenciária Central do Estado (PCE), à época Presídio do Pascoal Ramos, de onde saiu pela porta da frente levando arma de policiais. Em 2002, foi recapturado e levado para o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), à época Cadeia do Carumbé, e depois transferido para a PCE. Em 2003 foi transferido para a unidade prisional Major Eldo de Sá Correa, popular Mata Grande, em Rondonópolis, e fugiu da unidade serrando a grade do banho do sol do módulo, pulou o muro de acesso à área externa da penitenciária e fugiu com mais cinco detentos. Em 2004, foi recapturado pela Gerência de Repressão a Sequestro e Investigações Especiais (GRISIE), hoje Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), na cidade de Goiânia (GO). Sua primeira transferência para unidades prisionais fora do Estado de Mato Grosso foi em 2005, para penitenciária Presidente Bernardes (SP). No mesmo ano foi para o presídio estadual de Piraguara (PR) e depois retornou a PCE. Em 2006 foi para Cadeia de Água Boa, depois de ameaças ao superintendente e a agentes prisionais. Em 2007 foi transferido para penitenciária federal de Catanduvas, no Paraná, e depois para presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Em 2012, retornou a PCE permanecendo no Raio 05. Situação atual: Preso na PCE. Não foi tranferido, pois contraiu hepatite.

2. Renato Sigarini, vulgo “Vermelhão”- criminoso condenado por vários crimes e um dos idealizadores do CV-MT. É membro do “Conselho Final” e responsável pelo cadastro final. É tido como o “cérebro” da facção criminosa, utilizando-se de suas habilidades e argumentações para recrutar novos integrantes e organizar a estrutura da facção. Situação: transferido.

3. Miro Arcângelo Gonçalves de Jesus, vulgo “Miro Loco” ou “Gentil” – criminoso condenado por vários crimes e um dos idealizadores do CV-MT. É membro do “Conselho Final” e um dos responsáveis pelo financeiro da facção. Possui altíssima liderança e exige o cumprimento rigoroso do estatuto. Comanda de dentro da unidade prisional diversas “bocas de fumos” na Grande Cuiabá. Situação: transferido.

4. Renildo Silva Rios, vulgo “Nego”, “Negão” ou “Liberdade” – criminoso condenado por vários crimes e um dos idealizadores do CV-MT. É membro do “Conselho Final”, possuindo altíssima liderança dentro da unidade prisional. Exige o cumprimento rigoroso do estatuto. Situação: Transferido.

5. Toleacil Natalino da Costa, vulgo “Tulio” ou “Túlia ou Trolha” – criminoso condenado por vários crimes e membro do CV-MT. É o principal responsável financeiro da facção. Participou do assassinato do detento Alesson Alex de Souza, em 30 de setembro de 2013, dentro do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC). Situação: transferido.

6. Isaias Pereira Duarte, vulgo “Caverninha” – conhecido como “matador de polícia”, é membro do CV-MT e considerado extremamente articulado, à frente de todas as unidades prisionais. Cabe a ele realizar um filtro entre o “Conselho Final” e os membros de outras unidades prisionais e também fazer a difusão para as demais unidades de todas as decisões do “Conselho Final”, tomadas em prol da facção. Preso na Penitenciaria Central do Estado por tráfico de drogas e homicídio. Ele foi identificado como uma das pessoas envolvida na morte do detento Alesson Alex de Souza, em 30 de setembro de 2013, dentro do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC). Situação: transferido.
7. Rudney Rodrigues dos Santos, o “Pinguim”, membro do CV-MT, responsável por avaliar fatos, analisar reivindicações, averiguar algum desentendimento entre os “irmãos”. Ele mantém a ordem e disciplina entre os “irmãos” – na PCE. Situação: Transferido. v 8. Leonardo Flávio de Souza – o “Bocão”, membro do CV-MT, estava preso na PCE por vários crimes cometidos. Situação: Transferido

Principais membros com mandados cumpridos:
1. Reginaldo Miranda, vulgo “Bongo” – criminoso condenado por diversos crimes, sendo um deles pela extorsão mediante sequestro de um dos donos do Supermercado Big Lar, em 2003, que ficou em cativeiro por 92 dias. É membro do CV-MT e possui altíssima liderança, considerado “braço-direito” do “Conselho Final”, participando de decisões referente à punições impostas pelo “Conselho Final” a outros reeducandos. O criminoso tem condenações por assalto em Sinop, Várzea Grande; condenação por porte ilegal de arma de fogo em Várzea Grande; responde por assalto em Jaciara; responde por um homicídio e dois assaltos em Cuiabá. Em 2013 foi posto em liberdade para cumprimento de pena em regime semiaberto. Situação: Foragido

2. Paulo César da Silva, vulgo “Petróleo” – membro do CV-MT, que possui altíssima liderança, responsável por avaliar fatos, analisar reivindicações e desentendimentos dentro da Penitenciária Central do Estado, e depois passa para o “Conselho Final”. Ganhou liberdade recentemente da Penitenciaria Central do Estado, onde estava preso por tráfico de drogas e homicídio. Ele foi identificado como uma das pessoas envolvida na morte do detento Alesson Alex de Souza, em 30 de setembro de 2013, dentro do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC). Situação: Mandado cumprido.

3. Luênio César Rondon Rocha, conhecido por “Bicudo” – é integrante do CV-MT, auxilia nas atividades administrativas da facção na rua e também exerce grande liderança. Responde por um homicídio em Cuiabá, por formação de quadrilha e explosão de caixa eletrônico; assalto a mão armada em Cuiabá e porte de arma de fogo de uso proibido. Situação: Foragido.

4. Bruna Santos Xavier – esposa do detento Renato Sigarini, o Vermelhão”, membro do CV-MT e integrante do “Conselho Final”. Ela foi presa em flagrante por crime de tráfico de drogas no dia 14 de março de 2013. Bruna é responsável é pelo banco de dados do CV-MT, fazendo todas as inserções dos nomes da facção em uma tabela, organizando, e posteriormente, salvando-a em um pendrive, sob sua responsabilidade. Situação: presa.
5. Marileuza Dias de Pontes Siqueira – é esposa do reeducando Toleacil Natalino da Costa, o “Tulio” ou Túlia” ou “Trolha”, que é membro do CV-MT. Ela possui uma conta bancária movimentada pela facção e presta auxílio operacional, indo até ao banco retirar extratos, checar saldos e conferir valores a serem compensados no dia seguinte. Situação: presa.

6. Devid dos Santos Moya – não pertence ao CV-MT. É homem de confiança do detento “Miro Louco”, preso na PCE e membro do alto escalão do CV-MT. Devid executa ordens de “Miro” fora da prisão e principalmente com relação ao tráfico de drogas. Situação: preso.

7. Meykson Campos Oliveira, conhecido por “Zé”- membro do CV-MT, cumpre pena no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC). Possui altíssima liderança, sendo um dos principais reeducandos a frente de Ala D no CRC. Ele é um dos executores do homicídio de Rafael Ramos de Oliveira, o “Rafinha”, assassinado no dia 09/09/2013, dentro do CRC. Situação: foragido.

8. José Bonifácio Nascimento de Barros, o “Zé da Caixa" – membro do CV-MT, que ocupa a função de “liderança” (obriga os demais integrantes a efetuarem a contribuição mensal), recluso na ala “M, do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), que possui grande liderança. É integrante de uma quadrilha especializada em arrombamento de caixas eletrônicos e é padrinho de Glauce da Silva Neves. Situação: mandado cumprido.

9. Glauce da Silva Neves, conhecida por “Gê” – é integrante do CV-MT. Possui altíssima liderança, sendo a principal responsável pela administração de rua. Ela exerce a função de administrar todos os membros que estão na rua, bem como aqueles que saem em liberdade. Ela controla ainda a contribuição mensal de cada membro que está em liberdade, além de realizar reuniões a fim de repassar todos as decisões ao “Conselho Final” para os membros que estão na base. Glauce foi recomendada por um reeducando que faz parte de uma quadrilha de arrombamentos de caixas eletrônicos. A suspeita foi presa na segunda-feira (28.04), pela Delegacia de Roubos e Furtos (Derf), por uso de documento falso. Situação: presa.

10. Thaisa Souza de Almeida – esposa do líder da facção do CV-MT, Sandro da Silva Rabelo, o “Sandro Louco”, e uma das autoras do crime de tráfico de drogas, comandado por Sandro de dentro do presídio. No dia 12 de setembro de 2013, ela foi presa junto com outra mulher, por crime de tráfico de entorpecentes. Situação: Foragida.O Documento

Servidores são acusados de desviar até R$ 2 milhões


 

Polícia Federal identificou, até o momento, que sete servidores das unidades do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em Cuiabá, Rondonópolis, Cáceres e Pontes e Lacerda concentraram 64,32% de todo o gasto do cartão de pagamento do Governo Federal do IBGE em Mato Grosso, de 2011 a 2013.

A investigação é feita por meio da Operação "Dr.Lao", deflagrada na manhã desta quarta-feira (30). A PF não divulgou os nomes dos acusados.

De acordo com a PF, de 2011 a 2013, o IBGE gastou pouco mais de R$ 1,4 milhão no cartão.

Desse total, os sete servidores foram os responsáveis pelo gasto de R$ 903 mil, que corresponde a 64,32% do total gasto pelas quatro unidades do IBGE. A maioria do dinheiro gasto foi sacado.

Os valores movimentados por meio de saque podem ser ainda maiores, pois de 2007 a 2013 esses sete servidores movimentaram R$ 2 milhões.

Mas, não foi possível analisar os gastos por meio de saque anteriores a 2011, pois o Portal de Transparência do IBGE só fornece os dados a partir de 2011 e o Portal da Transparência da Controladoria Geral da União não traz o detalhamento dos saques.

"Notas frias"

Na tentativa de forjar a legalidade do gasto, eram apresentadas notas fiscais "frias" de empresas que não estavam mais em funcionamento; recibos falsos emitidos, inclusive, por pessoa já falecida; e pagamento por serviços que sequer foram prestados.

Pelo esquema, foram feitos pagamentos de serviços de recarga de cartuchos, compra de toner e peças para embreagem por um posto de combustíveis. Em cinco processos foram identificados seis recibos emitidos por dois supostos prestadores de serviço diferentes assinados com rubricas idênticas.

Por meio de nota, o Ministério Público Federal manifestou-se favoravelmente ao pedido de busca e apreensão de documentos e equipamentos e de prisão feito pela Polícia Federal, durante a investigação do esquema de fraude.

Estão sendo cumpridos os mandados de busca e apreensão e de prisão temporária autorizados pela Justiça Federal, com o objetivo de desarticular o esquema criminoso e concluir a investigação.

A prisão temporária tem o prazo de cinco dias, prorrogável por igual período em caso de extrema e comprovada necessidade.

Depois do concluída a investigação, as informações serão novamente encaminhadas ao Ministério Público Federal que poderá propor ações criminal (denúncia) e cível (improbidade administrativa) contra os envolvidos no esquema de fraude dos cartões corporativos. Mídia News

Partidos receberam quase R$ 300 milhões do Fundo Partidário em 2013

Segundo levantamento da ONG Contas Abertas, as partidos políticos receberam R$ 294 milhões por meio do Fundo Partidário no ano passado. O Fundo é a principal forma das agremiações financiarem as suas atividades. É como se cada brasileiro pagasse cerca de R$ 1,50 para as entidades anualmente. Os 32 partidos políticos brasileiros têm até amanhã (30) para prestarem as contas de 2013 ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
O valor anual destinado a cada agremiação é definido de acordo com a votação anterior de cada sigla à Câmara Federal. Os repasses, contudo, podem ser suspensos caso não seja feita a prestação de contas anual pelo partido ou esta seja reprovada pela Justiça Eleitoral, conforme artigo 37 da Lei Eleitoral (9.096/95).
Dessa forma, a agremiação que mais recebeu recursos do fundo no ano passado foi o Partido dos Trabalhos (PT). O partido da atual presidente do país, Dilma Rousseff, recebeu R$ 47,3 milhões em 2013. O montante representa 16,1% do total desembolsado pelo Fundo no exercício passado. O segundo maior beneficiado foi o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), da base aliada do governo, que recebeu R$ 353,3 milhões (12%).
Na terceira colocação ficou o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que deve ter como presidenciável em 2014 Aécio Neves. A legenda recebeu R$ 323,8 milhões do Fundo Partidário em 2013. Completam o ranking as agremiações políticas Partido da República (PR) e o Partido Progressista (PP), que receberam R$ 206,4 milhões e R$ 197,6 milhões, respectivamente.

Gestores educacionais têm até hoje para prestar contas ao FNDE

Gestores municipais e estaduais de educação têm até hoje (30) para prestar contas dos recursos recebidos por meio de três programas: o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), o Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate) e o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). A prestação de contas é feita pelo Sistema de Gestão de Prestação de Contas. Caso não cumpram esse prazo, estados e municípios podem ter os recursos dos programas suspensos até que regularizem a situação.
No caso dos programas de alimentação e transporte escolar, as contas dos entes federativos serão analisadas inicialmente por conselheiros de controle social. Os conselhos têm até o dia 14 de junho para registrar seus pareceres, aprovando ou não as contas, no Sistema de Gestão de Conselhos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). As contas do PDDE são analisadas diretamente por técnicos da autarquia.

Governo Dilma vive inferno astral, diz Agripino sobre o “Volta Lula”

agripino violencia
O senador José Agripino, comentou sobre o manifesto “Volta Lula” protagonizado pelo PR, partido da base aliada da presidente Dilma Rousseff. O presidente nacional do Democratas considera o fato uma prova de que a administração da chefe do Executivo enfrenta dificuldades em vários setores. “O governo vive hoje um inferno astral. Tem dificuldade no campo político, no campo econômico e agora mais essa. Um partido da base do governo fazer uma reunião e afrontar a presidente da República com a indicação de uma preferência diferente da preferência oficial do PT?”, questionou Agripino.
No início da semana, deputados do PR divulgaram um manifesto assinado por 20 parlamentares da sigla afirmando que o Brasil precisa de um “reencontro com os princípios da aliança de 2002”, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito pela primeira vez. O líder do PR na Câmara, Bernardo Vasconcellos (PR-MG), pendurou na sala da liderança do PR na Casa uma foto de Lula, mas disse que a posição assumida pelos parlamentares da legenda não significa um rompimento com o governo.

O deslizamento de Dilma

dilma
Por Elio Gaspari – A campanha pela reeleição da doutora Dilma está numa enrascada. Carrega uma cruz do passado (as malfeitorias petistas, do mensalão às traficâncias da Petrobras) e puseram-lhe nas costas outra, do futuro (o “Volta, Lula”). Está presa à necessidade de justificar o que não fez e a uma ideia segundo a qual talvez não seja a melhor escolha, nem mesmo para os petistas e seus aliados.
Lula diz que não é candidato, mas comporta-se como tal e faz isso da pior maneira possível, como corretivo aos erros cometidos por seu poste. Na essência do “Volta, Lula” há um implícito “Sai, Dilma”. À primeira vista, esse movimento oferece um Salvador da Pátria, mas está embutido na proposta também um Salvador do PT.
O desgaste de Dilma decorre da exposição de um desgaste do aparelhamento imposto ao Estado. Em menos de um mês abalaram-se duas candidaturas nas quais a nação petista fazia enorme fé. Um só doleiro, veterano de duas delações premiadas, arrastou a campanha de Alexandre Padilha em São Paulo e a de Gleisi Hoffmann no Paraná. Sabendo-se que o partido está sem pai nem mãe no Rio de Janeiro, à malversação de recursos públicos somou-se outra, de votos.

Maggi anuncia que não disputará governo



O senador Blairo Maggi (PR), que há poucos dias deu sinais de que poderia ser, mais uma vez, candidato ao comando do Palácio Paiaguás, jogou um balde de água fria nos partidos que compõem a base governista e sonhavam com sua candidatura. 

Nesta segunda-feira (28), antes da reunião entre as legendas, Maggi comunicou a três interlocutores - o presidente regional do PR, deputado federal Wellington Fagundes (PR), seu primeiro suplente no Senado, Cidinho dos Santos (PR), e o deputado estadual José Riva (PSD) – a respeito de sua decisão definitiva. 

Conforme Riva, a partir de agora o grupo governista não deve mais insistir em ter o senador como candidato ao governo do Estado. Secretário-geral do PSD, ele avalia que a decisão de Maggi é legítima e precisa ser respeitada. 

O deputado afirma que a estratégia do grupo, que até agora era de insistir em convencer o senador a mudar de ideia, precisará ser alterada. O foco deve passar a ser fortalecer as pré-candidaturas já existentes. O PSD, aliás, tem uma delas, a do vice-governador Chico Daltro. Diário de Cuiabá

PF ameaça investigar patrimônio de US$ 4,77 bilhões de pessoa muito próxima a Lula da Silva

Bomba cairia no colo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e arruinaria com o PT

Atenção! Uma bomba muito superior ao escândalo do Mensalão, aquele que levou a cúpula do PT para a penitenciária da Papuda em Brasília, está para explodir no Brasil. E segundo informações do jornalista Jorge Serrão, editor do site Alerta Total, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seria pego com as calças na mão depois de desvendados os segredos do enriquecimento fantástico de um determinado e carimbado empresário brasileiro, principalmente depois da chegada do PT ao poder no Brasil. Segundo o jornalista, até o Exército Brasileiro está de prontidão apenas aguardando o deflagrar do material “altamente explosivo”. A Polícia Federal do Brasil, ou pelo menos parte dela, é que estaria pronta para detonar um dos maiores esquemas de podridão napolítica brasileira de todos os tempos.

Confira a matéria de Jorge Serrão e que acaba de ser publicada no seu site: http://www.alertatotal.net!
Uma das cinco “tendências” na Polícia Federal arma uma desagradável surpresa para uma pessoa muito próxima do Presidentro Luiz Inácio Lula da Silva. A equipe de um delegado pertencente a uma banda anti-governista da PF, com atuação consistente em combate à corrupção e lavagem de dinheiro, ameaça abrir um procedimento investigatório para acompanhar suspeitas de crimes na evolução patrimonial incompatível com a renda declarada à Receita Federal pelo personagem ligadíssimo a Lula. A fortuna familiar do investigável é estimada em US$ 4 bilhões 770 milhões de dólares.

O patrimônio é impressionante. Usando “laranjas” (familiares, amigos pessoais e empresários parceiros), o alvo da PF é, ocultamente, um dos maiores pecuaristas do Brasil. Em três fazendas – em São José do Rio Preto e Botucatu (SP) e no Mato Grosso, em sociedade com um famoso cantor romântico) -, o investigável cuida de 4 milhões e 800 mil cabeças de gado. Também ostenta dois jatos (cada um avaliado em US$ 8 milhões). As aeronaves operaram em nome de empreiteiras amigas, para chamar menos a atenção, como se isso fosse possível, pelas tantas viagens que faz pelo Brasil e para paraísos fiscais, principalmente o Panamá.

O próspero negociante, em que a PF está de olho, tem participações em seis grandes hotéis (três no Distrito Federal, dois em Recife e um resort na Bahia). O agora alvo da PF – e provavelmente da Receita e da Justiça Federal – fez muitos investimentos em imóveis, o que chama a atenção e acaba facilmente rastreado. Tem um prédio avaliado em US$ 12 milhões e um terreno gigantesco, em áreas valorizadas na Zona Sul de São Paulo. Empenhou muita grana na construção de lucrativos mini-shoppings, onde fatura alto com aluguéis. Também injetou dinheiro em uma incorporadora e numa empreiteira que atua na região do Grande ABC.  
  
Em tempos de problemas na Petrobras, chama atenção que o investigável seja detentos de lotes de 650 mil ações preferenciais da estatal de economia mista – em baixa no mercado. Além de muitas ações da Vale e Usiminas, o investidor também tem 10% de participação em uma grande companhia aérea e 20% de uma poderosa empresa de telecomunicações. Também tem ações de um grande grupo universitário em São Paulo, e uma lucrativa participação na Ambev. Em função da criação bovina, é acionista minoritário de vários frigoríficos.

O empreendedor pródigo conseguiu uma representação para negociar jatos da Embraer na França, no Canadá e nos EUA. Além das aplicações na hotelaria nacional, junto com outro brasileiro, controla um hotel na França. Para facilitar os negócios, tem um apartamento em seu nome em Paris, a partir de onde opera suas contas correntes na Europa. O empresário brasileiro transita facilmente pela Itália, onde tem cidadania.  Em sociedade com os Irmãos Castro, recebe dividendos, em dólares, de hotéis em Cuba. Sempre que pode, viaja para lá junto com Lula.
No rastro da Operação Lava Jato, o estouro deste escândalo, caso realmente se confirme, tende a superar, em impacto político negativo para o PT, o Mensalão (que rendeu condenações para apenas 24 dos 40 denunciados, sendo 13 milagrosamente absolvidos, poupando, principalmente, Lula da Silva). Também deve causar mais estrago que outras broncas que também chegaram próximas, mas ainda não afetaram Lula, como a Operação Porto Seguro – que rende um processo, que corre em estranho sigilo, contra a ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa Noronha, amiga a apadrinhada e ex-assessora de confiança do ex-Presidente.  

As cúpulas do PSDB e DEM sabem de quem é o alvo da provável investigação que vai abalar o corrupto modelo capimunista da República Sindicalista do Brazil. A eleição presidencial deste ano promete ser um abatedouro de políticos – principalmente do lado governista da pocilga. Existem dossiês em profusão para alimentar a guerra suja pela sucessão de Dilma Rousseff. A ordem, dos investidores de fora, que gastaram centenas de milhares de dólares em espionagem, é destronar o PT do Palácio do Planalto.

No marketing policial, a ação programada para ser deflagrada a qualquer momento pode ser batizada de “Operação Famíglia” – numa alusão direta a como a máfia costuma ser conhecida no idioma italiano, além do termo “Cosa Nostra”. Grandes lobistas de Brasília já comentavam, na noite de ontem, do alto risco político desta operação. O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, comandado pelo General de Exército José Elito, já sabe deste risco explosivo. A Presidenta Dilma e o Presidentro Lula, meio brigados por causa das confusões na Petrobras, também sabem do perigo à vista. A petralhada está mais aloprada que nunca.

Aviso aos especuladores de boatos
Antes que alguém tire conclusões precipitadas, uma advertência.
O alvo bilionário dessas investigações não será o empresário Eike Batista – também grande amigo de Luiz Inácio Lula da Silva.
A atuação de Eike no mercado de capitais, por causa dos problemas na petrolífera OGX, já é investigada pela Polícia Federal, o Ministério Público e, por ações de investidores prejudicados, também com a Justiça.
Fonte: ALERTA TOTAL

29 de abril de 2014

Emanuel Pinheiro é condenado em R$15 mil por distribuir abanadores no carnaval


O juiz auxiliar da propaganda do Tribunal Regional de Mato Grosso, André Stumpf Jacob Gonçalves julgou procedente Representação interposta pelo Ministério Público Eleitoral e condenou o deputado estadual, Emanuel Pinheiro ao pagamento de multa de R$ 15 mil pela realização de propaganda eleitoral antecipada.

De acordo com o MPE, neste ano, durante o carnaval de Chapada dos Guimarães/MT, o deputado estadual distribuiu aos foliões abanadores com a frase: “Compromisso com a nossa gente”, no qual era informado seu nome, imagem e cargo, bem como o endereço eletrônico de seu sítio na internet e informações de suas redes sociais. Para Emanuel Pinheiro, o ato configurava promoção pessoal, o que é permitido por lei.

Em sua defesa, Emanuel Pinheiro confirmou a distribuição dos abanadores e disse que o objetivo não era realizar propaganda eleitoral, mas sim, promover seu website, a educação no trânsito e proporcionar conforto aos foliões, haja vista a utilidade dos abanadores no combate ao calor mato-grossense.

O juiz auxiliar explicou em sua sentença, que embora não haja no abanador menção ao pleito futuro, o TSE já assentou entendimento de que configura propagando eleitoral o ato de levar ao conhecimento geral, ainda que de forma dissimulada, o entendimento de que o beneficiário é o mais apto ao exercício de função pública.
“De forma expressa, os informativos constantes nos abanadores exalam a atuação do deputado no exercício do mandato, incorrendo em propagando extemporânea e subliminar – “compromisso com a nossa gente” –, induzindo o eleitor à ideia de ser ele o mais apto ao exercício da função pública. A intenção foi de angariar repercussão eleitoreira dentre os foliões presentes na celebração festiva-carnavalesca realizada em Chapada dos Guimarães/MT”.

Por fim, o juiz auxiliar ressaltou que as mensagens veiculados se deram por meio de brinde (abanador), instrumento vedado até mesmo após a data de 6 de julho, início permissivo da propaganda eleitoral, conforme previstos nos artigos 39, § 6º da Lei 9.504/97 e artigo 10, § 3º da Resolução do TSE n.º 23.404/2.014.

“De todo exposto, configurada de forma incontroversa a propaganda extemporânea e subliminar, considerando a condição econômica do representado, com fundamento no artigo 36, § 3º da Lei 9.504/97 e artigo 2º, § 4º da Resolução 23.404/2.014, julgo procedente o pedido formulado pelo Ministério Público Eleitoral, para reconhecer a realização de propaganda eleitoral antecipada, condenando o representado Emanuel Pinheiro, ao pagamento de multa que ora fixo em 15 mil reais”, finalizou. O Documento

MP investiga fraude de R$ 20 milhões em cursos de qualificação para Copa do Mundo

Walmir Santana
Da Editoria


Agentes do Ministério Público Estadual (MPE), por meio do Naco (Núcleo de Ações de Competência Originária) e Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado), cumpriram mandado de busca e apreensão na Secretaria de Trabalho e Assistência Social do Estado. Os mandados, expedidos pelo Tribunal de Justiça, fazem parte da 'Operação Arqueiro', deflagrada no início da tarde desta terça-feira (29). A sede da secretaria chegou a ser lacrada. Somente no gabinete do secretário Jean Estevan Campos Oliveira, os agentes apreenderam pelo menos oito pastas de documentos e uma CPU.

De acordo com o MPE, os alvos são documentos contábeis, licitatórios, de liquidação e de prestação de contas referentes a convênios firmados entre o Estado e institutos de fachada para aapliação de cursos profissionalizantes visando a Copa do Mundo.

Investigações do Gaeco apontam a existência de provável conluio entre servidores lotados na Setas e Institutos sem fins lucrativos para fraudes em licitações e convênios. As investigações começaram após a divulgação de erros grotescos em apostilas que estavam sendo utilizadas nos cursos de capacitação em hotelaria e turismo promovido pelo Governo do Estado.

Segundo o MPE, nos últimos dois anos, a empresa Microlins e os Institutos de Desenvolvimento Humano (IDH/MT) e Concluir receberam do Estado quase R$ 20 milhões para executar programas sociais referentes ao “Qualifica Mato Grosso”, “Copa em Ação”, entre outros. Para obter êxito nas contratações, nomes de “laranjas” foram utilizados pelos fraudadores.

Em um dos casos exemplificados pelo MPE, a pessoa contratada para elaboração do conteúdo das apostilas possuía apenas o Ensino Médio completo. Em seu depoimento, a jovem confessou que recebeu pelo serviço a quantia de R$ 6 mil e que copiou todo o material da internet.

Até o momento, o Gaeco já identificou a participação de nove pessoas no esquema. Segundo o MPE, os nomes dos envolvidos serão divulgados após o oferecimento da denúncia.

Outros casos
A Setas também é investigada pelo contrato com dispensa de licitação firmado com a empresa Elza Ferreira dos Santos – Seligel, para o atender o Lar da Criança. O contrato é no valor de R$ 5,2 milhões, onde por seis meses, a empresa prestaria serviços de manutenção e limpeza. De acordo com a as denuncias publicadas pelo siteCircuito Mato Grosso após um levantamento no Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças (Fiplan), foi constatado que em apenas dois anos e meio do Governo Silval Barbosa, a empresa de pequeno porte (EPP) Elza Ferreira dos Santos Serviços (Seligel) faturou contratos no valor de R$ 38.129.772,00. Na Receita Federal, a empresa teria como atividade principal limpeza de prédios, carga e descarga, atividades paisagísticas, estacionamento de veículos, dentre outras, com exceção de recrutadora de profissionais das áreas necessárias a uma instituição com o perfil do Lar da Criança (com nível superior).
Outro lado

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Comunicação Social de Mato Grosso (Secom-MT) informou que a Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT), vai colaborar com as investigações da Operação Arqueiro. Também foi determinada que a Auditoria Geral do Estado (AGE) apure possíveis irregularidades em programas de responsabilidade da Setas-MT. Atualizada ás 16h35. O Documento

"JBS FRIBOI COM OS GOVERNOS DO PT É A MAIOR “LAVANDERIA DA HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA”, DIZ TUMA

TUMA JUNIOR DIZ QUE RELAÇÃO JBS FRIBOI COM OS GOVERNOS DO PT É A MAIOR “LAVANDERIA DA HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA”.
Mais uma denúncia quente do delegado de polícia e ex-secretário nacional de justiça do Governo Lula, Romeu Tuma Junior, esquenta o debate político no Brasil em 2014. Depois de desnudar o PT através do livro Bomba, Assassinato de Reputações, Tuminha entrou de sola nos governos do PT ao tratar das eleições deste ano. Ao responder na rede social Twitter ao engenheiro civil e professor da Universidade Federal do Paraná, Ossami Sakamori, Tuma Junior levantou a bola para um assunto de extrema gravidade. O professor Osssami Sakamori trouxe a Tuma Junior a informação da gigantesca dívida do grupo empresarial JBS Friboi com o BNDES, que beira a R$ 30 bilhões, sendo que a empresa vale apenas R$ 8 bilhões. (Veja matéria abaixo)
 A coisa engrossou quando o professor da Universidade do Paraná informou a Tuma Junior que o Grupo JBS Friboi bancará a campanha de Dilma Rousseff (PT) em 2014. O ex-secretário nacional de justiça do governo Lula, um homem dos mais bem informados da república, bateu pesado ao responder Ossami Sakamori. Tuminha garante que quando tudo vier à tona quanto a relação JBS Friboi e Governos do PT, o Brasil verá o aquilo que ele diz ser “A MAIOR LAVANDERIA DA HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA”.  Fonte: .canalgama
Friboi deverá financiar Dilma 2014.
Folha, ontem. Sob o argumento de promover a internacionalização e reduzir a informalidade, o BNDES injetou, por meio da compra de ações e títulos, R$ 12,8 bilhões em frigoríficos como JBS, Marfrig e Independência desde 2007. A cifra corresponde a 9% do orçamento do banco em 2014.
Folha, 5/1/2014. Em meio às celebrações da virada do ano, o BNDES selou um acordo para, mais uma vez, favorecer o grupo Marfrig, um dos "campeões nacionais" do governo Lula. Com uma dívida de quase R$ 6,7 bilhões e valendo R$ 2,1 bilhões na Bolsa, o Marfrig está numa situação financeira muito delicada. Em meados de 2013, o grupo repassou a Seara ao concorrente JBS, que assumiu R$ 5,85 bilhões em dívidas.
 Comentário.
Sempre, as notícias vem em conta gotas.  Mas, as maracutaias dos governos Lula & Dilma, pelo menos no âmbito do BNDES, estão blindadas.  O dinheiro dos empréstimos ou participações do banco de fomento federal, somem no ralo, sem dar mínima explicação ao mercado e ao contribuinte.  Foi o que aconteceu com os empréstimos do BNDES, no montante declarado pelo próprio BNDES em R$ 10,6 bilhões concedidos ao grupo OGX.  Simplesmente, ninguém explicou para onde foi parar. 
As notícias que a Folha levantou, fala-se em passivo do grupo de empresas frigoríficos junto ao BNDES em R$ 12,8 bilhões, que aparentemente corresponde às participações acionárias aos grupos de empresas citadas, via BNDESpar, braço de participação financeira do banco de fomento federal, BNDES.  Isto é valor de aquisição das ações das companhias citadas no boom da Bolsa de Valores.  Hoje, no mercado este montante de investimento deve estar valendo cerca de 20% do valor colocado pelo BNDES
As notícias da Folha apontam que o Marfrig se encontra em situação delicada.  Consta na notícia, também, que o JBS, outra empresa do ramo de frigorífico, assumiu uma dívida junto ao BNDES no montante de R$ 5,85 bilhões na aquisição da empresa Seara pertencente ao Marfrig, para não deixar o Marfrig naufragar de vez.  Foi dada uma espécie de sobrevida ao Marfrig para evitar outro escândalo igual ao da empresa OGX do Eike Batista.
Há um inquérito correndo na área da Justiça Federal do estado de Rio de Janeiro, em investigação pelo MPF/RJ, sobre os empréstimos suspeitos do BNDES ao grupo Marfrig.  Consta do inquérito, que a empresa Marfrig teria contratado uma empresa de consultoria que pertencia ao atual presidente do BNDES, Luciano Coutinho.  As maracutaias são feitas, intra muro, para evitar vazamento de informações negativos. O papel manipulado, aceita tudo!  Assim como, a situação real da OGX foi escondida pelo próprio BNDES ao mercado acionário e ao público em geral.
O grupo Marfrig é apenas ponta de "iceberg" dos empréstimos fajutos do BNDES aos frigoríficos.  Isto, não sou eu que estou a afirmar, mas no mercado financeiro, até engraxate da Bovespa sabe que o rombo maior vem da empresa JBS.  Para quem não sabe, com a ajuda do Lula & Dilma, o grupo se tornou maior empresa no setor de frigoríficos, senão, o maior faturamento do Brasil.  Isto não quer dizer muita coisa.  A maior empresa montadora nos EEUU, a GM, quase foi a pique, na crise financeira americana de 2008, se não fosse socorro do Obama.
O setor de frigoríficos é uma segmento que a margem da rentabilidade operacional é quase nula.  A JBS não ganha no operacional, mas sim no financeiro, tanto quanto a GM ganhava no financeiro ao invés de operacional, produzindo seus veículos.  O grupo JBS está na corda bamba há muito tempo.  Estima o mercado que o grupo JBS deve ao sistema BNDES, com empréstimos subsidiados, o Bolsa Empresário, um montante que beira R$ 30 bilhões.  patrimônio líquido da JBS é de R$ 8 bilhões, segundo balancete de 3ºT/ 2013, do próprio JBS, descontados os R$ 14,8 bilhões de valores intangíveis.
Bem, o conglomerado JBS, é dos outros Batistas, o Joesley e Wesley Batista, famosos também no "jet set" nacional e internacional, com iate de US$ 40 milhões comprado indiretamente com o dinheiro do BNDES e seus jatinhos cruzando o País de norte ao sul, acontecem no mundo social, também. 
Estes Batistas, tem comportamento megalomaníaco do outro Batista, o estelionatário Eike Batista.  Acontecem e esbanjam o dinheiro nosso, o suado dinheiro do sistema BNDES.  Os dois irmãos, são empresários que não têm 40 anos de idade e não herdaram fortuna dos pais.  Ambos os Batistas tem em comum os padrinhos Lula & Dilma.  Isto explica. 
Enquanto permanecer os governos Lula & Dilma, os  Batistas das carnes Friboi do Tony Ramos, estarão na mídia e estarão blindados com o dinheiro fácil do BNDES.  Só para lembrar, o presidente do Banco Central do Lula, o banqueiro Henrique Meirelles é o principal articulador do grupo junto ao governo da Dilma.  Costa quente eles tem, até demais.  Até quando o grupo JBS vai viver às custas do BNDES, ninguém sabe.  Só Dilma sabe!
JBS/Friboi do conhecido comercial do Tony Ramos é o próximo OGX, a sucumbir, se o governo do PT perder as eleições.  Se Dilma ganhar as eleições, a festa continua!  E cada vez mais o BNDES vai botar nosso dinheiro no Friboi do Tony Ramos.  Com certeza absoluta, O JBS será o principal financiador da campanha da Dilma.  Quem sabe, Tony Ramos será o principal mascote da Dilma 2014. 
Cai fora, Tony Ramos, e Roberto Carlos antes que Friboi afunde!
 
Blogger Templates